30 de março de 2008

Menor Perverso

Lendo essa crônica de Olavo percebemos que não há nada de novo sobre a violencia, mesmo aquela praticada por menor e que tem alvo tambem um menor; vem rapidamente a minha mente outros casos: João Helio, Liane Café. As imagens das vítimas da violência praticadas por menores estão gravadas em nossas mentes. O final melancólico da cronica nos leva a pensar: melhoramos, evoluimos no tratamentos dos pequenos infratores?
O perfil do menor delinqüente do século XXI não é o mesmo do menor delinqüente do século XX. Hoje, a realidade social é bem outra e sua própria evolução nos traz necessidades, exigências e situações novas.O estatuto do Menor e do Adolescente deve ser revisto e o regime de reclusão dos menores tem que oferecer melhores perspectivas para estes menores. Bilac diz que os internos da Escola de Correição estavam arriscados a ficarem piores. Qualquer semelhança com as FEBEMs não é mera coincidencia....

"Nesse pequeno infeliz, que os jornais consideram um grande criminoso, há um homem que se vai perder, por nossa culpa, - porque não lhe podemos dar o tratamento que a sua enfermidade requer..." Olvo Bilac
*************************
Criança de três anos assassinada por outra de dez, em condições que ainda não foram bem tiradas a limpo. Diz-se que o "menor perverso" ensopou em espírito de vinho as roupas da vítima e ateou-lhes fogo. Propositalmente? parece impossível... Mas nada é impossível na vida.
O fato é que, consumado o seu ato de perversidade (ou de imprudência?) o pequeno fugiu, e andou vagando pelas ruas, até que, já tarde, exausto, banhado em lágrimas, foi encontrado na praça da República e conduzido para uma delegacia policial. E os jornais, terminando a narração do caso triste, pedem quase todos, em quase unânime acordo de idéia e de expressão, que "se castigue esse precoce facínora, cujos instintos precisam ser refreados".
Que se castigue, como? Metendo-o na Correção? mandando-o para o Acre? fuzilando-o?
A ocasião é oportuna para mais uma vez se verificar quanto estamos mal aparelhados para atender às múltiplas necessidades da assistência social. Um criminoso de dez anos não é positivamente um criminoso... Se é verdade que esse menino conscientemente praticou a maldade de que é acusado, o nosso dever não é castigá-lo: é salvá-lo de si mesmo, dos seus maus instintos, das suas tendências para o exercício do mal. Como? naturalmente, dando-lhe uma educação especial, uma certa disciplina de espírito. Mas onde? É aqui que surge a dificuldade, e é aqui que somos forçados a reconhecer que, se estamos muito adiantados em matéria de politicagem e parolagem, ainda estamos atrasadíssimos em matéria de verdadeira civilização...
Já sei que há por aí uma Escola Correcional. Mas, ainda há pouco tempo, o que se soube da vida íntima dessa escola serviu apenas para mostrar que, lá dentro, os pequenos maus, pelo vício da organização do estabelecimento, estão arriscados a ficar cada vez piores. Tudo quanto se refere à assistência pública ainda está por fazer no Brasil: asilos, escolas correcionais, penitenciárias, presídios, não têm fiscalização efetiva. Só pensamos nessas casas de beneficência ou de correção, quando um escândalo, dos que há dentro delas, faz explosão cá fora, comovendo-nos ou indignando-nos. Então, há uma grita convulsa, um grande espalhafato, um grande dispêndio de artigos pelas folhas e de atividade pela polícia; mas, logo depois, tudo volta ao mesmo estado... à espera de novo escândalo.
Tive muita pena da pobre criança de três anos, morta no meio de horríveis torturas. Mas tenho também muita pena dessa outra criança, que uma brincadeira funesta (ou uma inconsciente moléstia moral, perfeitamente curável) levou à prática de um ato tão cruel. Nesse pequeno infeliz, que os jornais consideram um grande criminoso, há um homem que se vai perder, por nossa culpa, - porque não lhe podemos dar o tratamento que a sua enfermidade requer...

Texto extraído do livro: Obra reunida. Olavo Bilac. Editora Nova Aguilar, Rio de Janeiro, 1997. p. 737-738.

27 de março de 2008

O acaso vai me proteger ?


Epitáfio


Titãs -

Composição: Sérgio Britto

Devia ter amado mais

Ter chorado mais

Ter visto o sol nascer

Devia ter arriscado mais

E até errado mais
Ter feito o que eu queria fazer

Queria ter aceitado

as pessoas como elas são

Cada um sabe a alegria

e a dor que traz no coração

O acaso vai me proteger

Enquanto eu andar distraído...

O acaso vai me proteger

Enquanto eu andar...
Devia ter complicado menos

Trabalhado menos

Ter visto o sol se pôr

Devia ter me importado menos

Com problemas pequenos

Ter morrido de amor

Queria ter aceitado a vida como ela é

A cada um cabe

alegrias e a tristeza que vier

O acaso vai me proteger

Enquanto eu andar distraído

O acaso vai me proteger

Enquanto eu andar...
Devia ter complicado menos

Trabalhado menos

Ter visto o sol se pôr.
-----------------------------------------

Mais um desafio - Comentar esse epitafio.

Devia ter amado mais - Ah o amor, qual a sua medida exata? Excelente conselho amar cada dia mais. A Biblia nos fala que todos os dons passarão, exceto o amor. Ainda que eu falasse as línguas dos homens e dos anjos, e não tivesse Amor, seria como o metal que soa ou como o sino que tine. E ainda que tivesse o dom da profecia, e conhecesse todos os mistérios e toda a ciência, e ainda que tivesse toda a fé, de maneira tal que transportasse os montes, e não tivesse Amor, nada seria. E ainda que distribuísse toda a minha fortuna para sustento dos pobres, e ainda que entregasse o meu corpo para ser queimado, se não tivesse Amor, nada disso me aproveitaria - (Paulo aos Corintos) .

Ter chorado mais - Ele levou sobre nossas enfermidades. Ele é a nossa paz.“... o choro pode durar uma noite, mas a alegria vem pela manhã” (Salmo 30:05).



Ter visto o sol nascer - Grandes são as tuas obras ó Deus todo poderoso. Há pessoas que ficam deveras extasiadas com a tecnologia, com as ciencias, as invenções. mas não param para pensar e elogiar/cultuar o grande inventor do universo por suas criações perfeitas . Eu me alegro com os Teus feitos Com a obra das Tuas mãos Senhor, inclusive o por do sol.... Os céus manifestam a glória de Deus e o firmamento anuncia a obra das suas mãos. (Salmo 19:1).

Devia ter arriscado mais/E até errado mais / Ter feito o que eu queria fazer - (Eclesiastes 8 - 7,8,9,10)
- É uma coisa maravilhosa a luz! É tão bom, a luz do Sol!
- Se uma pessoa viver muitos anos, que se alegre todos os dias da sua vida; mas também que não se esqueça de que a eternidade é muito longa - tudo aqui em baixo é insignificante em relação a ela.
- Alegra-te, jovem, com a tua juventude! Goza cada minuto dela! Faz tudo o que tiveres planejado. Mas não te esqueças que terás de dar conta a Deus de cada coisa que fizeres.
- Evita pois aquilo que provocar desgostos e sofrimento; lembra-te que a juventude, com toda uma vida por diante, passa como um vento.

O acaso vai me proteger / Enquanto eu andar distraído - Certa vez perguntei a um grupo de pré adolescentes se eles conheciam a lei da gravidade. Bem poucos confessaram conhecê-la. Então eu lhes disse que o fato deles desconhecerem esta lei não anulava seus efeitos. Assim, se deitassem embaixo do pé de abacateiro (bem comuns onde morávamos) poderiam ser atingidos por um abacate que se desprendesse do galho, ou ainda que desconhecendo a existencia de um precipicio e distraidamente escorregassem cairiam até o fundo.
Em direito há um axioma que diz: Ninguém pode alegar desconhecimento da lei, para justificar o seu descumprimento . Assim eu digo, não andem distraidos, o acaso não vai protegê-los; a fé no verdadeiro Deus, sim -É impossível para uma pessoa que não tem fé, poder ter esperança. A fé é o que gera a esperança. E fé, meus amigos, é confiança em Deus. Mas para poder confiar em alguém, vocês precisam conhecerem esse alguém. Para conhecer é necessário conviver com essa pessoa. Vocês não poderão nunca exercitar a fé se não forem a Jesus, levando a Ele suas dúvidas e incredulidades. Ele é o autor da fé. Você precisa ir a Ele e cair aos Seus pés depondo seu racionalismo, seu agnosticismo, seu humanismo ou secularismo. "...sois guardados pelo poder de Deus, mediante a fé..." (I Pedro 1:5).
-----------------------------------------------------------------
PS. A composição é linda, mas não levem tão a sério um texto poético. Lembrem-se, não existe acaso, nem coincidencias... e É preciso saber viver...

26 de março de 2008

Onde fores leva teu coração.





Vás onde fores, leva todo o teu coração.
Confucio
Faça o que pode, com o que tem, onde estiver.
Roosevelt
Nunca se deve gatinhar quando o impulso é voar.
Hellen Keller
O teu tempo é limitado, portanto (...) tem a coragem de seguir o teu coração e a tua intuição. De alguma maneira eles já sabem o que tu queres ser de verdade. Tudo o mais é secundário.
Steve Jobs
O futuro pertence àqueles que acreditam na beleza dos seus sonhos.
Eleanor Roosevelt
O mundo não deve ter fronteiras, mas horizontes.
André de Botou
Não corras atrás das borboletas; planta uma flor no teu jardim e todas as borboletas virão até ela.
D. Elhers
O tempo é algo que não volta atrás, por isso, planta o teu jardim e decora a tua alma em vez esperares que alguém te mande flores.
William Shakespeare

25 de março de 2008

Grandioso és Tu - Carl Boberg (1859-1940)

"Senhor meu Deus, quando eu, maravilhado,
Contemplo a Tua imensa criação,

O céu e a terra, os vastos oceanos,

Fico a pensar em Tua perfeição.


Então minha alma canta a Ti, Senhor:
Grandioso és Tu, Grandioso és Tu!
Então minha alma canta a Ti, Senhor:
Grandioso és Tu, Grandioso és Tu!"



Quando eu medito Em teu amor tão grande
Que ofereceu teu filho sobre o altar
Maravilhado e agradecido venho
Também a minha vida te ofertar


Então minha alma canta a Ti...

E quando enfim, Jesus vier em glória
E ao lar celeste então me transportar
Adorarei, prostrado e para sempre:
"Grandioso és Tu, meu Deus!", Hei de cantar


Carl Boberg (1859-1940)

24 de março de 2008

Picasso




“Picasso veio à luz em 25 de outubro de 1881, às 11:15 em Málaga. Natimorto. Não respirava nem chorava. A parteira abandonou-o e começou a tratar da mãe. Se não fosse pela presença do tio, Salvador Ruiz, o menino não teria vingado: Salvador se debruçou sobre o corpo inerte e exalou nas ventas do menino a fumaça do seu fétido charuto. Picasso estremeceu. Picasso berrou. Um gênio chegou à vida. Sua respiração foi um sopro de fumaça, irritando sua garganta, queimando-a até os pulmões, com o estímulo poderoso da nicotina.”
Norman Mailer em
Portrait of Picasso as a Young Man (1995), tradução livre.--------

23 de março de 2008

A Arte de ser feliz - Cecilia Meireles


Houve um tempo em que minha janela se abria
sobre uma cidade que parecia ser feita de giz.

Perto da janela havia um pequeno jardim quase seco.
Era uma época de estiagem, de terra esfarelada,
e o jardim parecia morto.

Mas todas as manhãs vinha um pobre com um balde,
e, em silêncio, ia atirando com a mão umas gotas de água sobre as plantas.
Não era uma rega: era uma espécie de aspersão ritual, para que o jardim não morresse.
E eu olhava para as plantas, para o homem, para as gotas de água que caíam de seus dedos magros e meu oração ficava completamente feliz. Às vezes abro a janela e encontro o jasmineiro em flor.
Outras vezes encontro nuvens espessas.

Avisto crianças que vão para a escola. Pardais que pulam pelo muro.

Gatos que abrem e fecham os olhos, sonhando com pardais.
Borboletas brancas, duas a duas, como refletidas no espelho do ar.
Marimbondos que sempre me parecem personagens de Lope de Vega.
Ás vezes, um galo canta.
Às vezes, um avião passa.
Tudo está certo, no seu lugar, cumprindo o seu destino.
E eu me sinto completamente feliz.
Mas, quando falo dessas pequenas felicidades certas,
que estão diante de cada janela, uns dizem que essas coisas não existem,
outros que só existem diante das minhas janelas, e outros,
finalmente, que é preciso aprender a olhar, para poder vê-las assim.

22 de março de 2008

JUSTIÇA - José Saramago


"... a Justiça continuou e continua a morrer todos os dias. Agora mesmo, neste instante em que vos falo, longe ou aqui ao lado, à porta da nossa casa, alguém a está matando. De cada vez que morre, é como se afinal nunca tivesse existido para aqueles que nela tinham confiado, para aqueles que dela esperavam o que da Justiça todos temos o direito de esperar: justiça, simplesmente justiça.Não a que se envolve em túnicas de teatro e nos confunde com flores de vã retórica judicialista, não a que permitiu que lhe vendassem os olhos e viciassem os pesos da balança, não a da espada que sempre corta mais para um lado que para o outro, mas uma justiça pedestre, uma justiça companheira quotidiana dos homens, uma justiça para quem o justo seria o mais exacto e rigoroso sinônimo do ético, uma justiça que chegasse a ser tão indispensável à felicidade do espírito como indispensável à vida é o alimento do corpo. Uma justiça exercida pelos tribunais, sem dúvida, sempre que a isso os determinasse a lei, mas também, e sobretudo, uma justiça que fosse a emanação espontânea da própria sociedade em ação, uma justiça em que se manifestasse, como um iniludível imperativo moral, o respeito pelo direito a ser que a cada ser humano assiste."

Ele Morreu, mas agora vivo está


Todos ao redor da mesa conversavam sobre as suas últimas palavras...

Ele estava dizendo para todos os seus amigos mais chegados que iria passar por uma experiência traumática mas necessária para que eles mesmos e milhares de outras pessoas, em todos os tempos, pudessem vencer a maior barreira conhecida pela humanidade: a morte. Parecia loucura ouvi-lo falar com tanta certeza e determinação sobre isso: "Vou ser morto, mas ficarei assim só até domingo!", dizia ele.


"Puxa como alguém poderia passar três dias morto e retornar?", pergunta o mais jovem do grupo. "Vocês não se lembram?", disse um dos que estava à direita da mesa. E complementou: "Lembram-se do que aconteceu na cidade de Betânia, perto da capital, com aquele homem chamado Lázaro? Ele já estava sepultado há alguns dias quando foi trazido de volta por ele!" "É mesmo, isso é verdade, eu estava lá!", acrescentou outro homem postado na extremidade esquerda da mesa.

O mais incrível é que isso realmente aconteceu. Jesus, o Mestre, que insistia em dizer que ficaria morto só até domingo e depois ressuscitaria, cumpriu o que prometeu. Os relatos bíblicos são tão claros, citam tantas testemunhas e apontam provas diretas desse fato. Até o historiador judeu, Flávio Josefo, o qual não tinha compromisso nenhum com os cristãos, considerado ‘a testemunha da história’, registrou esse fato histórico em um de seus livros.

O que desejo deixar para você é que a Páscoa conta uma história linda de coragem, altruísmo, força, determinação, esperança, fé, vitória e principalmente amor! Jesus disse: "Eu sou o bom pastor. O bom pastor dá sua vida pelas ovelhas." (João 10:11) "Ninguém tira a minha vida de mim, pelo contrário, eu espontaneamente a dou. Tenho autoridade para a entregar e para reavê-la." (João 10:18)

A grande ênfase da Páscoa não pode ser somente a morte de Jesus e a sua ressurreição. Mas o motivo pelo qual ele fez isso! As pessoas gostam de se martirizarem exigindo que sentimentos de dó e remorso constituam o ambiente de seus corações nessa época da Páscoa. Privam-se de certas comidas e se abatem, mas só até o final de mais essa data do calendário religioso. Depois retornam às suas atividades normais sem guardarem efeitos objetivos daquele esforço. Sem mudança de vida!

Mas, na verdade, o sentimento que deve brotar de dentro de você nessa Páscoa é o de gratidão e de reconhecimento do amor demonstrado por Jesus, morrendo e ressuscitando, por mim e por você. Isso revela que somos muito importantes para Deus e alvos de seu amor grandioso. Você não deve se comprometer com sentimentos de dó e revolta, mas abrir o todo de sua vida, o trono, a posição de liderança, o centro dela para que possa viver a profunda experiência do amor de Jesus dentro de você, fazendo tudo novo de dentro para fora. É uma experiência acessível a qualquer pessoa, não importando credo, classe social, preferências, etc... Basta conversar com Deus agora mesmo e dedicar seu passado, presente e futuro à liderança do Senhor Jesus. Daí a Páscoa poderá trazer a tristeza de um sacrifício, mas a alegria da vitória que todo o que confia em Jesus pode ter à partir de agora!

"Disse Jesus: Eu vim para que tenham vida e vida completa!" (João 10:10b)

Um abraço e Feliz Páscoa!!!

PASCOA



Qual é a origem e significado da Páscoa? Como surgiu a idéia do coelho e ovos de chocolate? E por que na sexta-feira dizem que não se deve comer carne mas sim peixe?
A páscoa pode cair em qualquer domingo entre 22 de março e 25 de abril. Tem sido modernamente celebrada com ovos e coelhos de chocolate com muita alegria. O moderno ovo de páscoa apareceu por volta de 1828, quando a indústria de chocolate começou a desenvolver-se. Ovos gigantescos, super decorados, era a moda das décadas de 1920 e 1930. Porém, o maior ovo e o mais pesado que a história regista, ficou pronto no dia 9 de abril de 1992. É da Cidade de Vitória na Austrália. Tinha 7 metros e dez centímetros de altura e pesava 4 toneladas e 760 quilos. Mas o que é que tem a ver ovos e coelhos com a morte e ressurreição de Cristo?
A origem dos ovos e coelhos é antiga e cheia de lendas. Segundo alguns autores, os anglo-saxões teriam sido os primeiros a usar o coelho como símbolo da Páscoa. Outras fontes porém, o relacionam ao culto da fertilidade celebrado pelos babilônicos e depois transportado para o Egito. A partir do século VIII, foi introduzido nas festividades da páscoa um deus teuto-saxão, isto é, originário dos germanos e ingleses. Era um deus para representar a fertilidade e a luz. À figura do coelho juntou-se o ovo que é símbolo da própria vida. Embora aparentemente morto, o ovo contém uma vida que surge repentinamente; e este é o sentido para a Páscoa, após a morte, vem a ressurreição e a vida. A Igreja no século XVIII, adotou oficialmente o ovo como símbolo da ressurreição de Cristo. Assim foi santificado um uso originalmente pagão, e pilhas de ovos coloridos começaram a ser benzidos antes de sua distribuição aos fiéis.Em 1215 na Alsácia, França, surgiu a lenda de que um dos coelhinhos da floresta foi o animal escolhido para levar um ninho cheio de ovos ao principezinho que estava doente. E ainda hoje se tem o hábito de presentear os amigos com ovos, na Páscoa. Não mais ovos de galinha, mas de chocolate. A idéia principal ressurreição, renovação da vida foi perdida de vista, mas os chocolates não, ele continuam sendo supostamente trazidos por um coelhinho...O Peixe, foi símbolo adotado pelos primeiros cristãos. Em grego, a palavra peixe era um símbolo da confissão da fé, e significava: "Jesus Cristo, filho de Deus e Salvador." O costume de comer peixe na sexta-feira santa, está associado ao fato de Jesus ter repartido este alimento entre o povo faminto. Assim a tradição de não se comer carne com sangue derramado por Cristo em nosso favor.
Mas vejamos agora, qual é a verdadeira origem da Páscoa?
Não tem nada a ver com ovos nem coelhos. Sua origem remonta os tempos do Velho Testamento, por ocasião do êxodo do povo de Israel da terra do Egito. A Bíblia relata o acontecimento no capítulo 12 do livro do Êxodo. Faraó, o rei do Egito, não queria deixar o povo de Israel sair, então muitas pragas vieram sobre ele e seu povo. A décima praga porém, foi fatal: a matança dos primogênitos - o filho mais velho seria morto. Segundo as instruções Divinas, cada família hebréia, no dia 14 de Nisã, deveria sacrificar um cordeiro e espargir o seu sangue nos umbrais das portas de sua casa. Este era o sinal, para que o mensageiro de Deus, não atingisse esta casa com a décima praga. A carne do cordeiro, deveria ser comida juntamente com pão não fermentado e ervas amargas, preparando o povo para a saída do Egito. Segundo a narrativa Bíblica, à meia-noite todos os primogênitos egípcios, inclusive o primogênito do Faraó foram mortos. Então Faraó, permitiu que o povo de Israel fosse embora, com medo de que todos os egípcios fossem mortos.Em comemoração a este livramento extraordinário, cada família hebréia deveria observar anualmente a festa da Páscoa, palavra hebraica que significa "passagem" "passar por cima". Esta festa, deveria lembrar não só a libertação da escravidão egípcia, mas também a libertação da escravidão do pecado, pois o sangue do cordeiro, apontava para o sacrifício de Cristo, o Cordeiro que tira o pecado do mundo.A chamada páscoa cristã, foi estabelecida no Concílio de Nicéia, no ano de 325 de nossa era. Ao adotar a Páscoa como uma de suas festas, a Igreja Católica, inspirou-se primeiramente em motivos judaicos: a passagem pelo mar Vermelho, a viagem pelo deserto rumo a terra prometida, retirando a peregrinação ao Céu, o maná que exemplifica a Eucaristia, e muitos outros ritos, que aos poucos vão desaparecendo.A maior parte das igreja evangélicas porém, comemora a morte e a ressurreição de Cristo através da Cerimônia da Santa Ceia. Na antiga Páscoa judaica, as famílias removiam de suas casas, todo o fermento e todo o pecado, antes da festa dos pães asmos. Da mesma forma, devem os cristãos confessar os seus pecados e deles arrepender-se, tirando o orgulho, a vaidade, inveja, rivalidades, ressentimentos, com a cerimônia do lava-pés, assim como Jesus fez com os discípulos. Jesus instituiu uma cerimônia memorial, a ceia, em substituição à comemoração festiva da páscoa. I Coríntios 11:24 a 26 relata o seguinte:Jesus tomou o pão, "e tendo dado graças o partiu e disse: Isto é o meu corpo que á dado por vós; fazei isto em memória de mim. Por semelhante modo, depois de haver ceado, tomou o cálice, dizendo: Este cálice é a nova aliança no Meu sangue, fazei isto todas as vezes que o beberdes, em memória de mim. Porque todas as vezes que comerdes este pão e beberdes o cálice, anunciais a morte do senhor, até que ele venha."Vários símbolos nesta ceia merecem nossa atenção. O ato de partir o pão, indicava os sofrimentos pelos quais Cristo havia de passar em nosso favor. Alguns pensam, que a expressão "isso é o meu corpo" signifique o pão e o vinho se transformassem realmente no corpo e no sangue de Cristo. Lembremo-nos portanto, que muitas vezes Cristo se referiu a si próprio dizendo "Eu Sou a porta" (João 10:7), "Eu sou o caminho" (João 14:6) e outros exemplos mais que a Bíblia apresenta. Isto esclarece, que o pão e o vinho não fermentado, são símbolos e representam o sacrifício de Cristo. Ao cristão participar da cerimônia da ceia, ele está proclamando ao mundo sua fé no sacrifício expiatório de Cristo e em sua segunda vinda. Jesus declarou: "Não beberei deste fruto da videira, até aquele dia em que o hei de beber convosco no reino de Meu Pai." ( Mateus 26:29)Portanto, a cerimônia da Santa-Ceia, que Jesus instituiu, que veio a substituir a cerimônia da Páscoa, traz muitos significados:1 - O Lava-Pés, significa a humilhação de Cristo. Mostra a necessidade de purificar a nossa vida. Não é a purificação dos pés, mas de todo o ser, todo o nosso coração. Reconciliação com deus, com o nosso próximo e conosco mesmo - união - não somos mais do que ninguém. O maior é aquele que serve...2 - A Ceia significa a libertação do Pecado através do sacrifício de Cristo. Significa também estar em comunhão com ele. E sobretudo, é um antegozo dos salvos, pois Jesus disse: "Não beberei deste fruto da videira, até aquele dia em que o hei de beber convosco no reino do meu Pai. (Mateus 26:29)Conclusão:Advertindo a cada cristão, que tome cuidado com os costumes pagãos que tentam sempre driblar os princípios bíblicos. Não é de hoje, que se nota como os princípios bíblicos são alterados por costumes e filosofias humanas. Adoração a ídolos, a mudança do sábado para o domingo, o coelho e o chocolate, são apenas alguns exemplos das astúcias do inimigo. A Bíblia, e a Bíblia somente, deve ser única regra de nossa fé, para nos orientar, esclarecer e mostrar qual o caminho certo que nos leva a Deus e que nos apresenta os fundamentos de nossa esperança maior que é viver com Cristo e os remidos, num novo céu e numa nova terra. Devemos tomar cuidado com as crendices, tradições, fábulas, e mudanças humanas disfarçadas. Minha sugestão é examinar com oração, cuidado e com tempo as Sagradas Escrituras, para saber o que hoje é crendice ou tradição, estando atento, para saber o que realmente deus espera de cada um de nós.Jesus foi claro "Fazei isto em memória de mim." Ele exemplificou tudo o que deve ser feito. E se queremos ser salvos, precisamos seguir o que Jesus ensina e não outras tradições ou ensinamentos. Mateus 15:9 adverte: "Em vão me adoram, ensinando doutrinas que são preceitos dos homens."

21 de março de 2008

Elogio da Dialéctica - Bertold Brecht


A injustiça avança hoje a passo firme.
Os tiranos fazem planos para dez mil anos .
O poder apregoa: as coisas continuarão a ser como são.
Nenhuma voz além da dos que mandam
E em todos os mercados proclama a exploração; isto é apenas o começo
Mas entre os oprimidos muitos há que agora dizem Aquilo que nós queremos nunca mais o alcançaremos
Quem ainda está vivo não diga: nunca
O que é seguro não é seguro
As coisas não continuarão a ser como são
Depois de falarem os dominantes Falarão os dominados
Quem pois ousa dizer: nunca
De quem depende que a opressão prossiga? De nós
De quem depende que ela acabe? Também de nós
O que é esmagado que se levante!
O que está perdido, lute!
O que sabe ao que se chegou, que há aí que o retenha
E nunca será: ainda hoje.
Porque os vencidos de hoje são os vencedores de amanhã!

20 de março de 2008

PASCOA - passagem, da escravidão à liberdade.

A origem da celebração da Páscoa está na história judaica relatada na Bíblia, no livro chamado “Êxodo”. Êxodo significa saída, e é exatamente a saída dos judeus do Egito que esse livro relata. Quando Ramsés II, rei do Egito, subiu ao trono, apavorou-se com o crescimento do povo de Israel, achando que esse crescimento colocava em risco o seu poder. Essa preocupação, deu início a uma série de ordens e obras levaram os judeus a um período de grande sofrimento.
......Conta a Bíblia que Deus, vendo o que se passava com seu povo, escolheu Moisés para tirá-los dessa situação, dando a ele os poderes necessários para o cumprimento da missão. Na semana em que o povo de Israel iniciou sua jornada para sair do Egito, Deus ordenou que só comessem só pão sem fermento e no último dia, quando finalmente estariam fora do Egito seria comemorada a primeira Páscoa, sendo esse procedimento celebrado de geração em geração.
......Essa celebração recebeu o nome de Pessach, que em judaico significa passagem, nesse caso da escravidão à liberdade. Daí surgiu a palavra Páscoa.
......Jesus Cristo deu novo significado à Páscoa. Ele trouxe a “boa-nova”, esperança de uma vida melhor, trouxe a receita para que o povo se libertasse dos sofrimentos e das maldades praticadas naquela época. ......A morte de Jesus Cristo representa o fim dos tormentos. A sua ressurreição simboliza o início de uma vida nova, iluminada e regrada pelos preceitos de Deus.
......O domingo de Páscoa marca a passagem da morte para a vida, das trevas para a luz
. Hoje, o domingo de Páscoa representa uma oportunidade de fazermos uma retrospectiva em nossas vidas, e estabelecermos um ponto de recomeço, de sermos melhores, de sairmos do "Egito".

DATA
Páscoa é comemorada no domingo seguinte à primeira lua cheia da primavera, ou seja, ocorre sempre entre 22 de março e 24 de abril. A partir dessa data, é que fica estabelecido o período de 46 dias, conhecido como Quaresma, que vai da Quarta-Feira de Cinzas até o Domingo de Páscoa. ......A celebração da Páscoa dura cerca de 50 dias. Tem início no Domingo da Ressurreição e se estende até o fim de Pentecostes, quando se relembra a descida do Espírito Santo sobre os Apóstolos, sob a forma de línguas de fogo.

SÍMBOLOS PASCAIS

Ovos......
Os ovos guardam em si a imagem de uma nova vida, por isso foram adotados como símbolo de renovação. Costumavam ser oferecidos em muitas civilizações como presentes. No Antigo Egito e na Pérsia, por exemplo, eram pintados em tons primaveris. Na China, antes mesmo do nascimento de Cristo já se presenteava com ovos de pata pintados em cores vivas. Na Europa católica do século XVIII, ovos coloridos passaram a ser benzidos pelos
cristãos e oferecidos aos fiéis.
......Na Polônia e na Ucrânia, essa tradição foi levada muito a sério. Edward I registra em 1290 a despesa de compra de milhares de ovos para serem distribuídos às pessoas de sua corte. No século XVII, o Papa Paulo V abençoou um simples ovo a ser usado na Inglaterra, Escócia e Irlanda. Na Alemanha, é antigo o costume de dar ovos de Páscoa às crianças, junto com outros presentes.
......Em partes da Europa, as tribos tinham uma forma abreviada de chamar Eostre, a deusa da Primavera, e que começou a ser usada para descrever a direção do nascente - Leste. Daí a palavra Easter.
......As primeiras cestas de Páscoa se assemelhavam aos ninhos de pássaros. Antes, as pessoas colocavam os ovos nos ninhos em honra da deusa Eostre.
......Com o passar do tempo, passaram a ser confeitados e é aí que entra o chocolate.Chocolate
......O chocolate, que por muito tempo foi servido como bebida, viu sua indústria se desenvolver bastante na Inglaterra do século XIX. ......Foi nessa época que apareceu o ovo de chocolate. A partir daí, rapidamente se espalhou pelos mercados europeus e depois pelo mundo.
Coelho
......O coelho de Páscoa é uma atualização do antigo símbolo pascoalino, a lebre (parente do coelho), considerada sagrada para a deusa Eostre. No século XVIII, colonizadores alemães levaram para os Estados Unidos a idéia dos coelhos de Páscoa.
......Uma duquesa alemã, ao dizer que os brilhantes ovos de Páscoa tinham sido deixados pelos coelhos para as crianças, deu origem ao costume de fazer com que as crianças os encontrasse no dia de Páscoa. Pomba ......
A Pomba ou "Colomba" pascal, pão doce e enfeitado com a forma de ave, também é um símbolo cristão. A forma de pomba era usada nos antigos sacrários, onde se guardava a Eucaristia. Atualmente, passou também a ser usada no pão doce que costuma ser compartilhado, na Europa, especialmente na Itália, no café da manhã de Páscoa e da "Pasquetta" ou Pascoela, como é chamada no Brasil a segunda-feira após a Páscoa.

TRADIÇÕES

......No Canadá as crianças acreditam que o coelho da Páscoa lhes trará ovos coloridos, normalmente confeitados. Todos compram roupas novas, preparam refeições especiais e participam de celebrações religiosas. ......Na Alemanha e da Áustria os ovos verdes eram usados na Quinta-feira Santa. Os eslavos usavam decorações douradas e prateadas em seus ovos. Os armênios costumam decorar os ovos vazios com imagens de Cristo, da Virgem Maria e outras imagens religiosas.

19 de março de 2008

Morte do leiteiro



Carlos Drummond de Andrade

Há pouco leite no país,
é preciso entregá-lo cedo.
Há muita sede no país,
é preciso entregá-lo cedo.
Há no país uma legenda,
que ladrão se mata com tiro.
Então o moço que é leiteiro
de madrugada com sua lata
sai correndo e distribuindo
leite bom para gente ruim.
Sua lata, suas garrafas
e seus sapatos de borracha
vão dizendo aos homens no sono
que alguém acordou cedinho
e veio do último subúrbio
trazer o leite mais frio
e mais alvo da melhor vaca
para todos criarem força
na luta brava da cidade.
Na mão a garrafa branca
não tem tempo de dizer
as coisas que lhe atribuo
nem o moço leiteiro ignaro,
morados na Rua Namur,
empregado no entreposto,
com 21 anos de idade,
sabe lá o que seja impulso
de humana compreensão.
E já que tem pressa, o corpo
vai deixando à beira das casas
uma apenas mercadoria.
E como a porta dos fundos
também escondesse gente
que aspira ao pouco de leite
disponível em nosso tempo,
avancemos por esse beco,
peguemos o corredor,
depositemos o litro...
Sem fazer barulho, é claro,
que barulho nada resolve.
Meu leiteiro tão sutil
de passo maneiro e leve,
antes desliza que marcha.
É certo que algum rumor
sempre se faz: passo errado,
vaso de flor no caminho,
cão latindo por princípio,
ou um gato quizilento.
E há sempre um senhor que acorda,
resmunga e torna a dormir.
Mas este acordou em pânico
(ladrões infestam o bairro),
não quis saber de mais nada.
O revólver da gaveta
saltou para sua mão.
Ladrão? se pega com tiro.
Os tiros na madrugada
liquidaram meu leiteiro.
Se era noivo, se era virgem,
se era alegre, se era bom,
não sei,
é tarde para saber.
Mas o homem perdeu o sono
de todo, e foge pra rua.
Meu Deus, matei um inocente.
Bala que mata gatuno
também serve pra furtar
a vida de nosso irmão.
Quem quiser que chame médico,
polícia não bota a mão
neste filho de meu pai.
Está salva a propriedade.
A noite geral prossegue,
a manhã custa a chegar,
mas o leiteiro
estatelado, ao relento,
perdeu a pressa que tinha.
Da garrafa estilhaçada,
no ladrilho já sereno
escorre uma coisa espessa
que é leite, sangue... não sei.
Por entre objetos confusos,
mal redimidos da noite,
duas cores se procuram,
suavemente se tocam,
amorosamente se enlaçam,
formando um terceiro tom
a que chamamos aurora.


Fonte: Antologia Poética - Editora Record, 40ª edição, página 134.

17 de março de 2008

Vamos plantar uma arvore?





Muitas espécies de plantas e animais dependem diretamente da existência das florestas para se abrigar, reproduzir ou alimentar. Da mesma forma, algumas plantas dependem diretamente de animais ou insetos específicos para poder se reproduzir. Neste complexo e delicado equilíbrio natural, a extinção de determinadas espécies compromete a existência de muitas outras.Nas florestas tropicais, o equilíbrio provém principalmente da diversidade de espécies. Água abundante, luminosidade intensa e temperaturas altas e estáveis, além de uma variedade de ocupação animal e vegetal, conferem ao ecossistema da floresta complexas interações entre fauna, flora e elementos não vivos. Vejamos alguns exemplos dessas interações:

· Não é por acaso que as frutas são normalmente coloridas e saborosas. Várias delas dependem de animais herbívoros para dispersarem suas sementes. Estes as comem e, feita a digestão, defecam estas sementes já com um adubo natural. Todos saem ganhando : as plantas dispersam seus genes e, como “gratidão”, os animais ganham uma saborosa e nutritiva refeição.
E que tal plantarmos uma árvore hoje???
Veja como funciona e plante suas mudas clickando em
http://www.clickarvore.com.br/
O plantio é patrocinado e vc acompanha o andamento das suas mudas, com fotos do local do reflorestamento. Muito legal.

16 de março de 2008

Para pensar...


Sê parco no elegiar e ainda mais no criticar

Sêneca

15 de março de 2008

Flor predileta



A mulher cujo espírito carece de cultivo, de ilustração, pode resultar tão insulsa como a flor puramente vistosa, mas se se esmera em polir suas modos mais que suas unhas, se adverte de que a bondade e a alegria devem formar parte inerente de sua naturaza feminina e se aplica em fazer desaparecer os defeitos de seu caráter ao mesmo tempo em que faz sumir as impurezas de seu rosto, encontrará que sua vida florecerá cheia de esperança e se converterá, por seus encantos, na flor predileta do espírito.
(Carlos Bernardo González Pecotche)


...cada oportunidade é uma fração de tempo que muito tem a ver com nossa vida. Prepare-se para aproveitá-las, porque, se não o fizer, elas passarão junto a você em silêncio, como uma sombra, e você as perderá irremediavelmente.
(
Carlos Bernardo González Pecotche)

14 de março de 2008

DIA NACIONAL DA POESIA - 14 DE MARÇO


O "Dia Nacional da Poesia" se comemora no dia 14 de março, data do aniversário do grande poeta Castro Alves, que nasceu na Freguesia de Muritiba, na Bahia, atual município de Cachoeira, em 1847 e faleceu em Salvador em 6 de janeiro de 1871.

***********


Conselhos a um jovem poeta



Jovem poeta,
não fique triste
mas verso livre
não existe.

No rigor e no excesso
poesia é ritmo,
números exatos
como na tábua
de logaritmos.

Lêdo Ivo

A QUE PONTO



A Senhora MLD, casada com o industrial CDG, 34 anos dois filhos no ginásio, casa própria, duas empregadas, formada em Psicologia na PUC mas totalmente dedicada ao lar e à família, católica praticante, muito ativa em obras sociais, saiu de casa para ir ao Supermercado, no Volks que o marido comprara para ela usar enquanto ele levava o Corcel para o escritório.Ao mesmo tempo, a Senhora DSS, casada com o advogado RPS, 28 anos, três filhos (o menor no Maternal), apartamento próprio, uma empregada, com veleidades culturais (alguns poemas) totalmente dedicada ao lar e à família, católica por formação, esparsamente ativa em obras de caridade, saiu de casa para o Supermercado, na Variant que o marido deixava para ela nos dias de fazer rancho.As senhoras MLD e DSS chegaram ao mesmo tempo na porta do supermercado. M vestia slacks, camiseta de malha (com soutien), um lenço simples na cabeça. D, um vestido estampado, sandálias de couro. Cruzaram na entrada do Supermercado. Não se conheciam, mas sorriram-se. As duas jovens senhoras.Oito minutos mais tarde, a Senhora MDL, com frio no coração, avistou uma lata de óleo – a última – na prateleira do Supermercado. Apressou o passo, deixando o seu carrinho para trás e pegou a lata. Ao mesmo tempo, a Senhora DSS, que vinha em direção oposta, também pegou a lata. Ambas riram, com a coincidência, mas nenhuma largou a lata.- Acho que vi primeiro – sorriu M.- Não, acho que fui eu – sorriu D.Riram-se outra vez, mais alto, cada uma tentando puxar a lata para si. Meio sem jeito, M, disse:- Que coisa horrível, a que ponto chegamos!- Não, acho que fui eu – sorriu D.M firmou o pé no chão e tento desiquilibrar D. Esta respondeu com um puxão, pensando surpreender M. Caíram sobre a prateleira de açúcar – que felizmente estava vazia.- Larga! rosnou a formada em Psicologia na PUC.- Larga! rosnou a eventual poetisa.A confusão, que já atraíra um considerável assistência, acabou por atrair também o gerente do Supermercado. “Senhoras!” pediu ele, mas já não havia senhoras ali. Duas fêmeas brigava por um presa (Tudo isso aconteceu no Brasil, anteontem). Quem ganhasse levaria o óleo para sua caverna. Dedicadas com igual força ao lar à família, as duas feras derrubaram a gôndola carregada de conservas.- Os vinhos estrangeiros! gritou, em pânico, o gerente, vendo a direção em que se desenvolvia briga. Ninguém conseguia apartá-las. Estavam ambas, agora, quase nuas.Derrubaram a gôndola de vinhos estrangeiros. Rolaram, engalfinhadas, sobre os cacos de garrafas. O sangue misturava com tinto, o branco e o rose. Houve um momento em que D conseguiu safar-se da adversária e correr cambaleante, triunfante, pelo corredor, com a lata erguida na sua mão ensangüentada. Mas M correu atrás e com um salto e um berro atracou-se nas costas de D, derrubando-a.- Chamem a polícia!D, mais moça conseguiu erguer-se mesmo com M montada nas suas costas. Andava de joelhos. Apertava a lata contra os seios, onde agora o vinho e o sangue se misturavam com farinha, sucrilhos e etiquetas de preços. Todos viram que D dirigia-se para cortar fora aqueles braços que lhe envolviam a cabeça, aquelas mãos que lhe arranhavam o peito buscando a última lata de óleo. E de repente soltou um grito que começou agudo e terminou grave e borbulhante.Os dentes de M tinham se cravado na sua jugular.

Luis Fernando Verissimo

In: O Gigolô da Palavrasp. 30-33

CARTAS REAIS DE CRIANÇAS PARA DEUS




Cartas reais para Deus escritas por crianças traduzidas do original em inglês.



1. Querido Deus,


Eu não pensava que laranja combinava com roxo até que eu vi o pôr-do-sol que fizeste na terça-feira. Foi demais!Eugene



2. Querido Deus, querias mesmo que a girafa se parecesse assim ou foi um acidente?
Norma



3. Querido Deus,


Em vez de deixar as pessoas morrerem e ter que fazer outras novas, porque não manténs aquelas que você tem agora?Jane



4. Querido Deus,


Quem desenha as linhas em volta dos países?
Nancy



5. Querido Deus,


Eu fui a um casamento e vi os noivos beijaram-se dentro da igreja. Tem algum problema com isso?
Neil



6. Querido Deus,


Obrigado pelo meu irmãozinho, mas eu rezei por um cachorrinho.
Joyce



7. Querido Deus,


Choveu o tempo todo durante as nossas férias e como o meu pai ficou zangado! Ele disse algumas coisas sobre Ti que as pessoas não deveriam dizer, mas eu espero que não fiques zangado com o meu pai.
Seu amigo (mas eu não vou dizer quem eu sou)



8. Querido Deus,Por favor, mande-me um pónei. Eu nunca te pedi nada antes, mas podes confirmar.
Bruce

9. Querido Deus,


Eu quero ser igualzinho ao meu pai quando eu crescer, mas não com tanto cabelo no meu corpo.
Sam



10. Querido Deus,Eu aposto que é muito difícil para Ti amar a todas as pessoas no mundo. Na nossa família tem só quatro pessoas e eu nunca consigo...
Nan



11. Querido Deus,


Meus irmãos me falaram sobre nascer de novo, mas soa muito estranho. Eles estão só brincando, não é?
Marsha



12. Querido Deus,


Se estás a olhar para mim na igreja domingo, eu vou te mostrar meus sapatos novos.
Mickey



13. Querido Deus,


Nós lemos que Thomas Edison fez a luz. Mas na catequese nós aprendemos que foste Tu. Eu acho mesmo que ele roubou a sua ideia.
Sinceramente, Donna



14. Querido Deus,


Eu não acho que alguém poderia ser um Deus melhor do que Tu.
Bem, eu só quero que saibas que não estou dizendo só porque Tu já é Deus.
Charles





15. Querido Deus,


Talvez Caim e Abel não matassem tanto um ao outro se eles tivessem seu próprio quarto.
Isso funciona com o meu irmão.
Eddie

Orgulho




"O cúmulo do orgulho é desprezar-se a si próprio"


Flaubert, Gustave

Dia Mundial do Consumidor - 15/03

Foram necessários quase 4 mil anos, desde o Código de Hamirabi, no 18º século A.C. para que o brasileiro pudesse festejar seu Dia do Consumidor.

``Eles são o maior grupo econômico, e influenciam e são influenciados por quase toda decisão econômica publica ou privada. Apesar disso, eles são o único grupo importante cujos pontos de vista muitas vezes não são considerados``.

Em 15 de março de 1962, o então presidente dos Estados Unidos, John Fitzgerald Kennedy, fez essa declaração ao Congresso americano e encaminhou mensagem reconhecendo os direitos dos consumidores, relativos a livre escolha de produtos e serviços, segurança destes, informação sobre eles e a ser ouvidos pelos fornecedores, pela Justiça e pela polícia. Um ordenamento jurídico que permaneceu inerte por milênios, o arremedo de um código que serviu de modelo para todos os países membros da Organização das Nações Unidas (ONU). Em homenagem a esse gesto, o 15 de março foi escolhido Dia do Consumidor.

No Brasil, até bem pouco tempo, as relações de consumo funcionavam na base do "Vá se queixar ao bispo!". Esse era o pensamento único do fornecedor com relação a qualquer tipo de reclamação infundada ou não, que fosse apresentada.

O único jeito era apelar para o Código Civil, formado por uma tonelada de leis para operador de Direito nenhum botar defeito. Trazia consigo aquela antiga e lenta Justiça; muito difícil e, sem dúvida onerosa.

Após a Constituição de 1988 - que determinou que o poder público promovesse a defesa do consumidor, definindo direitos básicos, oferecendo instrumentos e dando ênfase à informação e ao controle de qualidade - foi aprovada na câmara dos deputados o Código de Defesa do Consumidor (CDC), lei 8.078, de 11 de setembro de 1990, que dispõe sobre a proteção do consumidor.

A lei "pegou" com seus 119 artigos, coisa que nem sempre acontece nesse ainda nosso imenso Brasil. Mais do que uma nova lei, constituiu um marco na organização da sociedade civil em defesa dos próprios direitos.

Em março de 1997, foi publicado o Decreto nº 2181/97, que organizou o Sistema Nacional de Defesa do Consumidor e estabeleceu as normas para aplicação das sanções administrativas. Esse decreto estabeleceu também a elaboração do Cadastro de Reclamações Fundamentadas ou Cadastro de Fornecedores, divulgado periodicamente pelos Procons de todo o país, com objetivo de orientar os consumidores.

Chegar-se-á, seguramente, a um tempo em que não será necessário nenhum código de defesa de consumidor, uma vez que estarão definitivamente banidas do mercado as empresas que precisarem de um código para colocar limites em seus abusos e no relacionamento com os consumidores. Mas a história demonstra que não há conquista sem lutas, pelo menos enquanto muitos homens de negócio ainda insistam em contrariar o grande Monteiro Lobato, quando afirmou: ``O verdadeiro objetivo de uma empresa não é ganhar dinheiro, e sim bem servir ao público, produzindo artigos de fabricação conscienciosa e vendendo-os pelos preços mais moderados possível. A empresa que se norteia por esses princípios nunca pára de crescer nem desdobrar-se em benefícios para todos quantos nela cooperam`` - Monteiro Lobato.

Fontes:www.gente.rec.br
www.clipping.planejamento.gov.br
www.canaljustica.jor.br

13 de março de 2008

A política do rebelde - tratado de resistência e rebeldia”,



Folha de S. Paulo - 23/10/2007 - CAPA
Moradores de rua dormem diante da catedral da Sé (região central de São Paulo)
Foto: Marlene Bergamo/Folha Imagem



Paradoxalmente, a rua continua sendo o que resta ao maldito quando tudo lhe foi suprimido - bem se pode dizer, às vezes, um luxo inaudito para aqueles que só têm um corpo exigente e doloroso, frágil e imperioso. Mesmo se deve partilhar essa geografia monstruosa com os cães errantes, os ratos esfomeados e as dejeções animais ou latas de lixo viradas, o maldido mostra uma excepcional vitalidade, uma coragem inominável e uma força que me é difícil imaginar naqueles a quem eles devem tal condição: os guardas das galés do capitalismo arrebatado (…) a miséria suja, aquela fedorenta e enjoativa que enfastia e causa náuseas, resultada do funcionamento da máquina social, é uma reciclagem dos restos, uma produção daquilo que, mesmo em Platão, por causa da extrema vilania, como as unhas, os cabelos ou a sujeira, jaz como puro fenômeno, em correspondência inteligível. Degradação entrópica do único ser em questão: o ser social e as máquinas que o acompanham.” (do livro “A política do rebelde - tratado de resistência e rebeldia”,
Michel Onfray, págs.68 e 69, ed.Rocco)

Primeiro de Maio


Hoje a cidade está parada

E ele apressa a caminhada

Pra acordar a namorada logo ali

E vai sorrindo, vai aflito

Pra mostrar, cheio de si

Que hoje ele é senhor das suas mãos

E das ferramentas

Quando a sirene não apita

Ela acorda mais bonita

Sua pele é sua chita, seu fustão

E, bem ou mal, é seu veludo

É o tafetá que Deus lhe deu

E é vendito o fruto do suor

Do trabalho que é só seu

Hoje eles hão de consagrar

O dia inteiro pra se amar tanto

Ele, o artesão

Faz dentro dela a sua oficina

E ela, a tecelã

Vai fiar nas malhar do seu ventre

O homem de amanhã .

11 de março de 2008

Colibri - Haicai-


Colibri multicor

Beijando a flor -

Romance no ar

ALGODÃO DOCE


Leve e cor de rosa

Ah, se avida fosse...

Algodão doce!