28 de agosto de 2009

Aline Barros e Cia

27 de agosto de 2009

Felicidade - Abgar Renault

Felicidade

- o título tão comprido

deste poema tão pequeno!

Felicidade

- substantivo comum,

feminino,

singular,

polissilábico.


Tão polissilábico.

Tão singular.

Tão feminino.

E tão pouco comum.


Substantivo complicado,

metafísico,
que cabe todo na beleza clara

de alguém que eu sei
e no sorriso sem dentes

de meu filho


Abgar Renault


26 de agosto de 2009

Comer melhor previne câncer





Verduras, frutas e azeite extravirgem pode combater câncer

Nutrológo recomenda mudança nos hábitos e terapia nutricional para reduzir o risco de câncer em até 20%

UOL

Com a grande campanha de alimentação saudável em busca de uma melhor qualidade de vida, é indispensável também se atentar para a alimentação preventiva. É sabido que diversos alimentos possuem substâncias que previnem o surgimento de diversos tipos de cânceres.

"A alimentação tem papel fundamental na prevenção de doenças como obesidade, diabetes, infarto e câncer", explica o cardiologista e nutrológo Dr. Daniel Magnoni, que recomenda a dieta observada pelo Instituto Americano.

Segundo o especialista, muitos vegetais devem ser ingeridos crus, pois se mantêm os devidos valores nutricionais, e suas vitaminas. É recomendada uma dieta balanceada com ingestão de verduras, legumes e frutas. Quanto à carne, recomenda-se porções de 85 a 100g por dia - isso equivale a um bife. Mas certamente não é só a alimentação que contribui para a melhora da qualidade de vida, é necessário tomar algumas providências associadas para que se obtenha sucesso.

Alimentação não é tudo

"Além da alimentação balanceada, é importante aliar a prática segura dos exercícios físicos, abolir o hábito do cigarro e reduzir o peso. A junção de cuidados nutricionais e a avaliação médica preventiva podem atuar de forma muito segura na prevenção e identificação precoces do câncer", ressalta o nutrológo.

Um dos aspectos relevantes na prevenção do câncer pela alimentação é a inclusão de alimentos funcionais com alto teor de gordura monoinsaturada. Um exemplo disso é o azeite extravirgem, rico em gordura saudável. "Ao consumir o azeite extravirgem estamos ingerindo 77% de gordura monoinsaturada, 14% de saturadas e 9% de polinsaturadas, o que torna o óleo mais saudável em relação aos outros", alerta Dr. Magnoni.

Pátria


MOV.com.br - Recados Animados para seu Orkut


Pátria

Serra!

E qualquer coisa dentro de mim se acalma...

Qualquer coisa profunda e dolorida,

Traída,

Feita de terra

e Alma.

Uma paz de falcão na sua altura

A medir as fronteiras:

- Sob a garra dos pés a fraga dura

E o bico a picar estrelas verdadeiras!"


Miguel Torga.



25 de agosto de 2009


Se não puderes ser um pinheiro, no topo de uma colina,
Sê um arbusto no vale mas sê
O melhor arbusto à margem do regato.
Sê um ramo, se não puderes ser uma árvore.
Se não puderes ser um ramo, sê um pouco de relva
E dá alegria a algum caminho.


Se não puderes ser uma estrada,
Sê apenas uma senda,
Se não puderes ser o Sol, sê uma estrela.
Não é pelo tamanho que terás êxito ou fracasso...
Mas sê o melhor no que quer que sejas.


Pablo Neruda

24 de agosto de 2009

Não temas




Não temas, porque eu sou contigo; não te assombres, porque eu sou teu Deus; eu te fortaleço, e te ajudo, e te sustento com a destra da minha justiça.
Eis que, envergonhados e confundidos serão todos os que se indignaram contra ti; tornar-se-ão em nada, e os que contenderem contigo, perecerão.
Isaías 41:10

Eu sei que vou te amar....

22 de agosto de 2009

Amor, Amor - I Corintios 13 - Biblia


1 Ainda que eu falasse as línguas dos homens e dos anjos, e näo tivesse amor, seria como o metal que soa ou como o sino que ressoa.
2 E ainda que tivesse o dom de profecia, e conhecesse todos os mistérios e toda a ciência, e ainda que tivesse toda a fé, de maneira tal que transportasse os montes, e näo tivesse amor, nada seria.
3 E ainda que distribuísse toda a minha fortuna para sustento dos pobres, e ainda que entregasse o meu corpo para ser queimado, e näo tivesse amor, nada disso me aproveitaria.
4 O amor é sofredor, é benigno; o amor näo é invejoso; o amor näo trata com leviandade, näo se ensoberbece.
5 Näo se porta com indecência, näo busca os seus interesses, näo se irrita, näo suspeita mal;
6 Näo folga com a injustiça, mas folga com a verdade;
7 Tudo sofre, tudo crê, tudo espera, tudo suporta.
8 O amor nunca falha; mas havendo profecias, seräo aniquiladas; havendo línguas, cessaräo; havendo ciência, desaparecerá;
9 Porque, em parte, conhecemos, e em parte profetizamos;
10 Mas, quando vier o que é perfeito, entäo o que o é em parte será aniquilado.
11 Quando eu era menino, falava como menino, sentia como menino, discorria como menino, mas, logo que cheguei a ser homem, acabei com as coisas de menino.
12 Porque agora vemos por espelho em enigma, mas entäo veremos face a face; agora conheço em parte, mas entäo conhecerei como também sou conhecido.
13 Agora, pois, permanecem a fé, a esperança e o amor, estes três, mas o maior destes é o amor.
I Corintios 13 - Biblia

Você não me ensinou a te esquecer

http://barbaranatalia.files.wordpress.com/2008/06/lisbela-e-o-prisioneiro.jpg

Tema de Lisbela e o Prisioneiro

Não vejo mais você faz tanto tempo
Que vontade que eu sinto
De olhar em seus olhos, ganhar seus abraços
É verdade, eu não minto


E nesse desespero em que me vejo
Já cheguei a tal ponto
De me trocar diversas vezes por você
Só pra ver se te encontro


Você bem que podia perdoar
E só mais uma vez me aceitar
Prometo agora vou fazer por onde nunca mais perdê-la


Agora, que faço eu da vida sem você?
Você não me ensinou a te esquecer
Você só me ensinou a te querer

E te querendo eu vou tentando te encontrar
Vou me perdendo
Buscando em outros braços seus abraços
Perdido no vazio de outros passos
Do abismo em que você se retirou
E me atirou e me deixou aqui sozinho


Agora, que faço eu da vida sem você?
Você não me ensinou a te esquecer
Você só me ensinou a te querer
e te querendo eu vou tentando me encontrar

E nesse desepero em que me vejo
já cheguei a tal ponto
de me trocar diversas vezes por você
só pra ver se te encontro

Você bem que podia perdoar
E só mais uma vez me aceitar
Prometo agora vou fazer por onde nunca mais perdê-la

Agora, que faço eu da vida sem você?
Você não me ensinou a te esquecer
Você só me ensinou a te querer

E te querendo eu vou tentando te encontrar
Vou me perdendo
Buscando em outros braços seus abraços
Perdido no vazio de outros passos
Do abismo em que você se retirou
E me atirou e me deixou aqui sozinho


Agora, que faço eu da vida sem você?
Você não me ensinou a te esquecer
Você só me ensinou a te querer
e te querendo eu vou tentando te encontrar
Vou me perdendo
Buscando em outros braços seus abraços
Perdido no vazio de outros passos
Do abismo em que você se retirou
E me atirou e me deixou aqui sozinho


Agora, que faço eu da vida sem você?
Você não me ensinou a te esquecer
Você só me ensinou a te querer
E te querendo eu vou tentando me encontrar


(Alan Rodrigues e Fernando)



21 de agosto de 2009

O grilo

http://2.bp.blogspot.com/_Ed9aLl0ARtc/RqyvPpwZVWI/AAAAAAAAASI/wuenE0ckOIs/s400/diamante2.jpg

O grilo procura
No escuro
O mais puro diamante perdido
O grilo
Com as suas frágeis britadeiras de vidro
Perfura
As implacáveis solidões noturnas

E se isso que tanto buscas só existe
em tua límpida loucura
- que importa? -
Exatamente isto
É o teu diamante mais puro!

(Mario Quintana [de novo... :) ] )

Que as crianças cantem livres
Composição: Taiguara

O tempo passa e atravessa as avenidas
E o fruto cresce, pesa e enverga o velho pé
E o vento forte quebra as telhas e vidraças
E o livro sábio deixa em branco o que não é

Pode não ser essa mulher o que te falta
Pode não ser esse calor o que faz mal
Pode não ser essa gravata o que sufoca
Ou essa falta de dinheiro que é fatal


Vê como um fogo brando funde um ferro duro
Vê como o asfalto é teu jardim se você crê
Que há sol nascente avermelhando o céu escuro
Chamando os homens pro seu tempo de viver


E que as crianças cantem livres sobre os muros
E ensinem sonho ao que não pode amar sem dor
E que o passado abra os presentes pro futuro
Que não dormiu e preparou o amanhecer...





SER FELIZ

Ser feliz não é
ter
um céu sem tempestades,
caminhos sem acidentes,
trabalhos sem fadigas,
relacionamentos sem decepções.

Ser feliz
é
encontrar força no perdão,
esperança nas batalhas,

segurança no palco do medo,
amor nos desencontros.
Ser feliz não é apenas
comemorar o sucesso,
mas aprender lições nos fracassos.

Ser feliz
não é apenas
ter júbilo
nos aplausos

mas encontrar alegria no anonimato.

Ser feliz
é reconhecer
que
vale a pena viver a vida,

apesar de todos os desafios,
incompreensões e períodos de crise.


Ser feliz não é
uma fatalidade do destino,
mas uma conquista de quem sabe viajar
para dentro do seu próprio ser.

Ser feliz
é deixar de ser vítima dos problemas
e se tornar um autor da própria história.
É atravessar desertos fora de si
e ser capaz de encontrar um oásis no recôndito da sua alma.
É agradecer a Deus a cada manhã pelo milagre da vida.

Ser feliz, é não ter medo
dos próprios sentimentos.
É saber falar de si mesmo.
É ter coragem para ouvir um “não”.
É ter segurança para receber uma crítica,
mesmo que injusta.

É beijar os filhos, curtir os pais!
É ter momentos poéticos com os amigos,
mesmo que eles nos magoem.

Ser feliz é deixar viver
a criança livre, alegre e simples
que mora dentro de cada um de nós.
É ter maturidade para falar:“Eu errei”.
É ter ousadia para dizer:“Me perdoe!”
É ter sensibilidade para expressar:
“Eu preciso de você”.

É ter capacidade de dizer “Eu te amo”.
E, quando você errar o caminho,
recomece tudo de novo.
Pois assim você será cada vez
mais apaixonado pela vida.
E descobrirá que...

Ser feliz não é ter uma vida perfeita.
Mas usar as lágrimas para irrigar a tolerância.
Usar as perdas para refinar a paciência.
Usar as falhas para esculpir a serenidade.
Usar a dor para lapidar o prazer.
Usar os obstáculos para abrir
as janelas da inteligência.

Dez Leis Para Ser Feliz"
de Augusto Cury


20 de agosto de 2009



A arte de ser avó

Quarenta anos, quarenta e cinco. Você sente, obscuramente, nos seus ossos, que o tempo passou mais depressa do que esperava. Não lhe incomoda envelhecer, é claro. A velhice tem suas alegrias, as sua compensações - todos dizem isso, embora você pessoalmente, ainda não as tenha descoberto - mas acredita.

Todavia, também obscuramente, também sentida nos seus ossos, às vezes lhe dá aquela nostalgia da mocidade.

Não de amores nem de paixão; a doçura da meia-idade não lhe exige essas efervescências. A saudade é de alguma coisa que você tinha e lhe fugiu sutilmente junto com a mocidade. Bracinhos de criança no seu pescoço. Choro de criança. O tumulto da presença infantil ao seu redor. Meu Deus, para onde foram as suas crianças? Naqueles adultos cheios de problemas, que hoje são seus filhos, que têm sogro e sogra, cônjuge, emprego, apartamento e prestações, você não encontra de modo algum as suas crianças perdidas. São homens e mulheres - não são mais aqueles que você recorda.

E então, um belo dia, sem que lhe fosse imposta nenhuma das agonias da gestação ou do parto, o doutor lhe põe nos braços um menino. Completamente grátis - nisso é que está a maravilha. Sem dores, sem choro, aquela criancinha da sua raça, da qual você morria de saudades, símbolo ou penhor da mocidade perdida. Pois aquela criancinha, longe de ser um estranho, é um menino que se lhe é "devolvido". E o espantoso é que todos lhe reconhecem o seu direito sobre ele, ou pelo menos o seu direito de o amar com extravagância; ao contrário, causaria escândalo ou decepção, se você não o acolhesse imediatamente com todo aquele amor que há anos se acumulava, desdenhado, no seu coração.

Sim, tenho a certeza de que a vida nos dá os netos para nos compensar de todas as mutilações trazidas pela velhice. São amores novos, profundos e felizes, que vêm ocupar aquele lugar vazio, nostálgico, deixado pelos arroubos juvenis.

Aliás, desconfio muito de que netos são melhores que namorados, pois que as violências da mocidade produzem mais lágrimas do que enlevos. Se o Doutor Fausto fosse avô, trocaria calmamente dez Margaridas por um neto...

No entanto! Nem tudo são flores no caminho da avó. Há, acima de tudo, o entrave maior, a grande rival: a mãe. Não importa que ela, em si, seja sua filha. Não deixa por isso de ser a mãe do neto. Não importa que ela hipocritamente, ensine a criança a lhe dar beijos e a lhe chamar de "vovozinha" e lhe conte que de noite, às vezes, ele de repente acorda e pergunta por você. São lisonjas, nada mais. No fundo ela é rival mesmo. Rigorosamente, nas suas posições respectivas, a mãe e a avó representam, em relação ao neto, papéis muito semelhantes ao da esposa e da amante nos triângulos conjugais. A mãe tem todas as vantagens da domesticidade e da presença constante. Dorme com ele, dá-lhe banho, veste-o, embala-o de noite. Contra si tem a fadiga da rotina, a obrigação de educar e o ônus de castigar.

Já a avó não tem direitos legais, mas oferece a sedução do romance e do imprevisto. Mora em outra casa. Traz presentes. Faz coisas não programadas. Leva a passear, "não ralha nunca". Deixa lambuzar de pirulito. Não tem a menor pretensão pedagógica. É a confidente das horas de ressentimento, o último recurso dos momentos de opressão, a secreta aliada nas crises de rebeldia. Uma noite passada em sua casa é uma deliciosa fuga à rotina, tem todos os encantos de uma aventura. Lá não há linha divisória entre o proibido e o permitido, antes uma maravilhosa subversão da disciplina. Dormir sem lavar as mãos, recusar a sopa e comer croquetes, tomar café, mexer na louça, fazer trem com as cadeiras na sala, destruir revistas, derramar água no gato, acender e apagar a luz elétrica mil vezes se quiser - e até fingir que está discando o telefone. Riscar a parede com lápis dizendo que foi sem querer - e ser acreditado!

Fazer má-criação aos gritos e em vez de apanhar ir para os braços do avô, e lá escutar os debates sobre os perigos e os erros da educação moderna...

Sabe-se que, no reino dos céus, o cristão defunto desfruta os mais requintados prazeres da alma. Porém não estarão muito acima da alegria de sair de mãos dadas com o seu neto, numa manhã de sol. E olhe que aqui embaixo você ainda tem o direito de sentir orgulho, que aos bem-aventurados será defeso. Meu Deus, o olhar das outras avós com seus filhotes magricelas ou obesos, a morrerem de inveja do seu maravilhoso neto!

E quando você vai embalar o neto e ele, tonto de sono, abre um olho, lhe reconhece, sorri e diz "Vó", seu coração estala de felicidade, como pão ao forno.

E o misterioso entendimento que há entre avó e neto, na hora em que a mãe castiga, e ele olha para você, sabendo que, se você não ousa intervir abertamente, pelo menos lhe dá sua incondicional cumplicidade.

Até as coisas negativas se viram em alegrias quando se intrometem entre avó e neto: o bibelô de estimação que se quebrou porque o menino - involuntariamente! - bateu com a bola nele. Está quebrado e remendado, mas enriquecido com preciosas recordações: os cacos na mãozinha, os olhos arregalados, o beicinho pronto para o choro; e depois o sorriso malandro e aliviado porque "ninguém" se zangou, o culpado foi a bola mesma, não foi, vó? Era um simples boneco que custou caro. Hoje é relíquia: não tem dinheiro que pague.

Rachel de Queiroz

“Reborn Babies”



Ah que lindo esse bebê! Igual a todo bebê ele respira, abre e fecha os olhinhos, tem batimentos cardíacos, sua barriguinha se eleva e abaixa num movimento próprio da respiração infantil.Seu nome é Kitty e ela nasceu em 18/08/2009. Detalhe:ela é um baby fake feita de vinil, suas sobrancelhas pestanas e cabelos são de pelos de angorá.
Os colecionadores enlouquecem, mas não apenas colecionadores, vovós que moram longe dos netinhos, mamães que perderam seus bebês também querem seus bebês "renascidos".
E, quem não gostaria de ter um lindo bebê, como Kitty, que além do mais não chora, não come e nem faz pipi?.

Obs:Click nas imagens para vê-las ampliadas

Baby Mia Little baby Angelina jasmine

Little baby Angelina jasmine

Little Baby Summerbaby katie Little baby lauren

Little Baby fairy Baby freya thumbnail

teeto thumbv


fonte : http://www.reborn-baby.com/

19 de agosto de 2009


A Esperança não Murcha


A Esperança não murcha, ela não cansa,
Também como ela não sucumbe a Crença.
Vão-se sonhos nas asas da Descrença,
Voltam sonhos nas asas da Esperança.


Muita gente infeliz assim não pensa;
No entanto o mundo é uma ilusão completa,
E não é a Esperança por sentença
Este laço que ao mundo nos manieta?


Mocidade, portanto, ergue o teu grito,
Sirva-te a crença de fanal bendito,
Salve-te a glória no futuro – avança!


E eu, que vivo atrelado ao desalento,
Também espero o fim do meu tormento,
Na voz da morte a me bradar: descansa!


18 de agosto de 2009

Yolanda

-Pablo Milanes -



Esto no puede ser no mas que una cancion
Quisiera fuera una declaracion de amor
Romantica sin reparar en formas tales
Que ponga freno a lo que siento ahora a raudales
Te amo
Te amo
Eternamente te amo
Si me faltaras no voy a morirme
Si he de morir quiero que sea contigo
Mi soledad se siente acompañada
Por eso a veces se que necesito
Tu mano
Tu mano
Eternamente tu mano
Cuando te vi sabia que era cierto
Este temor de hallarme descubierto
Tu me desnudas con siete razones
Me abres el pecho siempre que me colmas
De amores De amores

Eternamente de amores
Si alguna vez me siento derrotado
Renuncio a ver el sol cada mañana
Rezando el credo que me has enseñado
Miro tu cara y digo en la ventana
Yolanda
Yolanda
Eternamente Yolanda
Yolanda
Eternamente Yolanda
Eternamente Yolanda


17 de agosto de 2009

Sutilmente

Composição: Samuel Rosa / Nando Reis



E quando eu estiver triste
Simplesmente me abrace
Quando eu estiver louco
Subitamente se afaste
Quando eu estiver fogo
Suavemente se encaixe

E quando eu estiver triste
Simplesmente me abrace
E quando eu estiver louco
Subitamente se afaste
E quando eu estiver bobo
Sutilmente disfarce

Mas quando eu estiver morto
Suplico que não me mate, não
Dentro de ti, dentro de ti

Mesmo que o mundo acabe, enfim
Dentro de tudo que cabe em ti (x2)

E quando eu estiver triste
Simplesmente me abrace
E quando eu estiver louco
Subitamente se afaste
E quando eu estiver bobo
Sutilmente disfarce

Mas quando eu estiver morto
Suplico que não me mate, não
Dentro de ti, dentro de ti

Mesmo que o mundo acabe, enfim
Dentro de tudo que cabe em ti



P'ra não dizer que não falei das flores...

“O jardim, convite à preguiça, exige trabalho constante.”
Carlos Drummond de Andrade.

“Os jardins e as flores têm o poder de reunir as pessoas, de tirá-las de dentro de casa.”
Clare Ansberry.

“Nas flores, a Terra sorri.”
Ralph Waldo Emerson.

15 de agosto de 2009


A Lista

Faça uma lista de grandes amigos
Quem você mais via há dez anos atrás
Quantos você ainda vê todo dia
Quantos você já não encontra mais

Faça uma lista dos sonhos que tinha
Quantos você já desistiu de sonhar!
Quantos amores jurados pra sempre
Quantos você conseguiu preservar

Onde você ainda se reconhece
Na foto passada ou no espelho de agora
Hoje é do jeito que achou que seria?
Quantos amigos você jogou fora

Quantos mistérios que você sondava
Quantos você conseguiu entender
Quantos segredos que você guardava
Hoje são bobos ninguém quer saber

Quantas mentiras você condenava
Quantas você teve que cometer
Quantos defeitos sanados com o tempo
Eram o melhor que havia em você

Quantas canções que você não cantava
Hoje assobia pra sobreviver
Quantas pessoas que você amava
Hoje acredita que amam você

Faça uma lista de grandes amigos
Quem você mais via há dez anos atrás
Quantos você ainda vê todo dia
Quantos você já não encontra mais

Quantos segredos que você guardava
Hoje são bobos ninguém quer saber
Quantas pessoas que você amava
Hoje acredita que amam você

Oswaldo Montenegro



O silêncio das Coisas me comove;

Sinto-o, principalmente quando chove.

Que sonolência enerva as almas... Que apatia...
Que saudade da vida e da alegria!

Que saudade de tudo que ama e existe!
Como me encanta a natureza triste!

Olho através dos vidros da janela:
A paisagem desfaz-se em folhas amarelas...

Ver árvores é um grande lenitivo
Para a estesia de um contemplativo.

Ver árvores é ouvir sentidas trovas,
Vossas cantigas, raparigas novas!

Que lindo verde, em nuanças meio incertas,
Margeando, lado a lado, as estradas desertas!

As árvores dos parques e das praças
Bebem silêncio pelas folhas que são taças...

Só parece que a sombra em redor se avoluma
E cresce e desenrola o amplo manto de bruma.

É tudo calma. Em torno à minha casa
Não se escuta sequer um ruflo de asa.

Somente a água que vem da montanha, sonora,
Canta tão triste que não canta, chora.

E some-se, rezando a estranha reza
Da livre religião da natureza,

Ave, Sombra! Eu venero a tua imagem
E amo o silêncio verde da paisagem!...



Olegário Marianno
Toda uma Vida de Poesia
(1889-1958- Recife)

13 de agosto de 2009

VAZIO


Todo o mar nos meus olhos, e não basta!

Enche-nos mais uma lágrima furtiva ...
Neste banquete azul, há um só conviva
Farto e feliz.
É o céu, que se debruça sobre as ondas
Sem amargura.
É ele, que não procura
Por detrás da verdade outra verdade.
Serenamente, lá da eternidade,
Bebe e come
A imagem refletida do seu nome.


Miguel Torga
In Antologia Poética


O Sol
Jota Quest -




Ei dor...eu não te escuto mais,
Você, não me leva a nada.
Ei medo...eu não te escuto mais,
Você, não me leva a nada.
E se quiser saber pra onde eu vou,
Pra onde tenha sol, é pra lá que eu vou
E se quiser saber pra onde eu vou,
Pra onde tenha sol, é pra lá que eu vou

Ei dor...eu não te escuto mais
Você não me leva a nada
Ei medo...eu não te escuto mais
Você não me leva a nada
E se quiser saber pra onde eu vou
Pra onde tenha sol, é pra lá que eu vou
É pra lá que eu vou
E se quiser saber pra onde eu vou
Pra onde tenha sol, é pra lá vou
É pra lá que eu vou

Yeah
Caminho do sol baby
Lalalalala
Caminho do sol baby

E se quiser saber pra onde eu vou
Pra onde tenha sol, é pra lá que eu vou
E se quiser saber pra onde eu vou
Pra onde tenha sol, é pra lá que eu vou
É pra lá que eu vou
E se quiser saber pra onde eu vou
Pra onde tenha sol, é pra lá que eu vou
É pra lá que eu vou
E se quiser saber pra onde eu vou
Pra onde tenha sol, é pra lá que eu vou
É pra lá que eu vou
E se quiser saber pra onde eu vou
Pra onde tenha sol, é pra lá que eu vou
É pra lá que eu vou

Lalalalalalala
É pra lá que eu vou
Lalaralara
Onde tenha sol, é pra lá que eu vou

9 de agosto de 2009

Butchart Gardens

Victória - Cana





8 de agosto de 2009

a real tragédia da vida é...




Podemos facilmente perdoar uma criança

que tem medo do escuro;

a real tragédia da vida é

quando os homens têm medo da luz.

Platão



7 de agosto de 2009

Fragilidade



A sorte da pedra
é tornar-se areia.
Mas quem não soluça
pensando em teu rosto
reduzido a poeira...

Cecília Meireles




5 de agosto de 2009

SABEDORIA
Mitică

Mitică - Banco
de Imagenes Gratuitas


2 Melhor é ir à casa onde há luto do que ir à casa onde há banquete, porque ali se vê o fim de todos os homens; e os vivos o aplicam ao seu coração.

3 Melhor é a tristeza do que o riso, porque com a tristeza do rosto se faz melhor o coração.

(Livro dos Eclesiastes - cap 7.2,3)

4 de agosto de 2009


Epigrama n. 2


CLICK PARA AMPLIAR A 1600X1200PX


És precária e veloz, Felicidade.
Custas a vir e, quando vens, não te demoras.
Foste tu que ensinaste aos homens que havia tempo,
e, para te medir, se inventaram as horas.

Felicidade, és coisa estranha e dolorosa:
Fizeste para sempre a vida ficar triste:
Porque um dia se vê que as horas todas passam,
e um tempo despovoado e profundo, persiste.

Cecília Meireles


"Inscrição na Areia

O meu amor não tem
importância nenhuma.
Não tem o peso nem
de uma rosa de espuma!

Desfolha-se por quem?
Para quem se perfuma?

O meu amor não tem
importância nenhuma."

-- Cecília Meireles



O bico do tucano, um "ar condicionado" da natureza

Os tucanos possuem um bico grande, muito grande. Aliás, é, proporcionalmente, o maior bico de todas as aves, podendo atingir um terço do tamanho do animal todo.
O motivo real do tamanho do bico do tucano: Serve para manter a temperatura corporal.

Assim, tal como as nossas glândulas sudoríparas, ou a língua dos cães, ou mais precisamente

Ficheiro:Tucan2.jpgAlinhar ao centro

como a
s orelhas dos elefantes e dos coelhos, servem para perder calor quando é necessário.
****************************************
Para ver a materia completa acesse http://cienciaascores.blogspot.com/2009/07/tucano-o-bico-refrigerador.html

Tudo fez Deus formoso em seu tempo; também pós o mundo no coraçäo do homem, sem que este possa descobrir a obra que Deus fez desde o princípio até ao fim.