29 de setembro de 2008

Exupery


Se tu vens às quatro da tarde, desde às três eu começarei a ser feliz.

Exupery



“O Pequeno Príncipe”, Fragmento


CATIVAR


(...)

E foi então que apareceu a raposa:

- Bom dia, disse a raposa.
- Bom dia, respondeu polidamente o principezinho, que se voltou mas não viu nada.
- Eu estou aqui, disse a voz, debaixo da macieira.
- Quem és tu? - perguntou o principezinho. Tu és bem bonita...
- Sou uma raposa, disse a raposa.
- Vem brincar comigo, propôs o principezinho. Estou tão triste...
- Eu não posso brincar contigo, disse a raposa. Não me cativaram ainda.
- Ah! desculpa, disse o principezinho.

Após uma reflexão, acrescentou:

- Que quer dizer “cativar”?
- Tu não és daqui, disse a raposa. Que procuras?
- Procuro os homens, disse o principezinho. Que quer dizer “cativar”?
- Os homens, disse a raposa, têm fuzis e caçam. É bem incômodo! Criam galinhas também. É a única coisa interessante que eles fazem. Tu procuras galinhas?
- Não, disse o principezinho. Eu procuro amigos. Que quer dizer “cativar”?
- É uma coisa muito esquecida, disse a raposa. Significa “criar laços...”
- Criar laços?
- Exatamente, disse a raposa. Tu não és ainda para mim senão um garoto inteiramente igual a cem mil outros garotos. E eu não tenho necessidade de ti. E tu não tens também necessidade de mim. Não passo a teus olhos de uma raposa igual a cem mil outras raposas. Mas, se tu me cativas, nós teremos necessidade um do outro. Serás para mim único no mundo. E eu serei para ti única no mundo...
- Começo a compreender, disse o principezinho. Existe uma flor... eu creio que ela me cativou...
- É possível, disse a raposa. Vê-se tanta coisa na Terra...
- Oh! não foi na Terra, disse o principezinho.

A raposa pareceu intrigada:

- Num outro planeta?
- Sim.
- Há caçadores nesse planeta?
- Não.
- Que bom! E galinhas?
- Também não.
- Nada é perfeito, suspirou a raposa.

Mas a raposa voltou à sua idéia.

- Minha vida é monótona. Eu caço as galinhas e os homens me caçam. Todas as galinhas se parecem e todos os homens se parecem também. E por isso eu me aborreço um pouco. Mas se tu me cativas, minha vida será como que cheia de sol. Conhecerei um barulho de passos que será diferente dos outros. Os outros passos me fazem entrar debaixo da terra. O teu me chamará para fora da toca, como se fosse música. E depois, olha! Vês, lá longe, os campos de trigo? Eu não como pão. O trigo para mim é inútil. Os campos de trigo não me lembram coisa nenhuma. E isso é triste! Mas tu tens cabelo cor de ouro. Então será maravilhoso quando me tiveres cativado. O trigo, que é dourado, fará lembrar-me de ti. E eu amarei o barulho do vento no trigo...

A raposa calou-se e considerou por muito tempo o príncipe:

- Por favor... cativa-me! disse ela.
- Bem quisera, disse o principezinho, mas eu não tenho muito tempo. Tenho amigos a descobrir e muitas coisas a conhecer.
- A gente só conhece bem as coisas que cativou, disse a raposa. Os homens não têm mais tempo de conhecer coisa nenhuma. Compram tudo prontinho nas lojas. Mas como não existem lojas de amigos, os homens não têm mais amigos. Se tu queres um amigo, cativa-me!
- Que é preciso fazer? perguntou o principezinho.
- É preciso ser paciente, respondeu a raposa. Tu te sentarás primeiro um pouco longe de mim, assim, na relva. Eu te olharei com o canto do olho e tu não dirás nada. A linguagem é uma fonte de mal-entendidos. Mas, cada dia, te sentarás mais perto...

No dia seguinte o principezinho voltou.

- Teria sido melhor voltares à mesma hora, disse a raposa. Se tu vens, por exemplo, às quatro da tarde, desde às três eu começarei a ser feliz. Quanto mais a hora for chegando, mais eu me sentirei feliz. Às quatro horas, então, estaria inquieta e agitada: descobrirei o preço da felicidade! Mas se tu vens a qualquer momento, nunca saberei a hora de preparar o coração... É preciso ritos.
- Que é um rito? perguntou o principezinho.
- É uma coisa muito esquecida também, disse a raposa. É o que faz com que um dia seja diferente dos outros dias; uma hora, das outras horas. Os meus caçadores, por exemplo, possuem um rito. Dançam na quinta-feira com as moças da aldeia. A quinta-feira então é o dia maravilhoso! Vou passear até a vinha. Se os caçadores dançassem qualquer dia, os dias seriam todos iguais, e eu não teria férias!

Assim o principezinho cativou a raposa. Mas, quando chegou a hora da partida, a raposa disse:

- Ah! Eu vou chorar.
- A culpa é tua, disse o principezinho, eu não te queria fazer mal; mas tu quiseste que eu te cativasse...
- Quis, disse a raposa.
- Mas tu vais chorar! disse o principezinho.
- Vou, disse a raposa.
- Então, não sais lucrando nada.
- Eu lucro, disse a raposa, por causa da cor do trigo.

Saint Exupery


26 de setembro de 2008

Menininha


Menininha do meu coração
eu so quero você
a três palmos do chão

Menininha não cresca mais não
fique pequinininha
nessa minha canção

senhorinha levada
batendo palminha
fingindo assustada do bicho-papão

menininha que graça é voce
uma coisinha assim
começando a viver

fique assim
meu amor
sem crescer

porque o mundo e ruim
e ruim e você vai sofrer de repente
uma desilusão porque a vida é somente o seu bicho-papão

fique assim,
fique assim,
sempre assim

e se lembre de mim
pelas coisas
que eu dei

e tambem não se esqueca de mim
quando você souber enfim
de tudo o que eu amei...

(Vinicius de Morais)


25 de setembro de 2008

Fascinação

Composição: F.D.Marchetti / M.de Feraudy / (Versão Armando Louzada)

Os sonhos mais lindos sonhei
De quimeras mil um castelo ergui
E no teu olhar
Tonto de emoção
Com sofreguidão
Mil venturas previ
O teu corpo é luz, sedução
Poema divino cheio de esplendor
Teu sorriso prende, inebria, entontece
És fascinação, amor
Os sonhos mais lindos sonhei
De quimeras mil um castelo ergui
E no teu olhar
Tonto de emoção
Com sofreguidão
Mil venturas previ
O teu corpo é luz, sedução
Poema divino cheio de esplendor
Teu sorriso prende, inebria, entontece
És fascinação, amor

24 de setembro de 2008

O Pato



Composição: Vinicius de Moraes / Toquinho / Paulo Soledade

Qüén! Qüen! Qüén! Qüen!
Qüén! Qüen! Qüén! Qüen!
Qüén! Qüen! Qüén! Qüen!
Qüén! Qüen! Qüén! Qüen!


Lá vem o Pato
Pata aqui, pata acolá
Lá vem o Pato
Para ver o que é que há...(2x)


O Pato pateta
Pintou o caneco
Surrou a galinha
Bateu no marreco
Pulou do poleiro
No pé do cavalo
Levou um coice
Criou um galo...


Comeu um pedaço
De genipapo
Ficou engasgado
Com dor no papo
Caiu no poço
Quebrou a tigela
Tantas fez o moço
Que foi prá panela...


Quá! Quá! Quá! Quá Quá!
Quá! Quá! Quá! Quá Quá!
Quá! Quá! Quá! Quá Quá!


Lá vem o Pato
Pata aqui, pata acolá
Lá vem o Pato
Para ver o que é que há...(2x)


O Pato pateta
Pintou o caneco
Surrou a galinha
Bateu no marreco
Pulou do poleiro
No pé do cavalo
Levou um coice
Criou um galo...


Comeu um pedaço
De genipapo
Ficou engasgado
Com dor no papo
Caiu no poço
Quebrou a tigela
Tantas fez o moço
Que foi prá panela...


Caiu no poço
Quebrou a tigela
Tantas fez o moço
Que foi prá panela...


23 de setembro de 2008

A Noviça Rebelde - As crianças 40 anos depois!!!!


As crianças que atuaram com Julie Andrews em "A Noviça Rebelde", em 1965, cresceram. E 40 anos depois olha como ficaram...




Noviça Rebelde - 40 anos: ganha edição especial

A história real de uma noviça austríaca, governanta da família do aristocrata Von Trapp, contrária aos nazistas que estão tomando o poder. Ela conquista as crianças e o dono da casa e forma um conjunto musical, mas têm de fugir do país.

O filme se tornou mais do que um clássico: é um filme cult, querido e admirado por várias gerações. Os críticos nem sempre o aprovam por considerá-lo "açucarado" Mas quem se importa? As canções são deliciosas, Julie Andrews nunca esteve tão bem e a paisagem dos alpes austríacos são de tirar o fôlego.


A edição especial comemorativa dos 40 anos do filme traz o longa restaurado e ganha legendas nas músicas para o espectador cantar junto com Julie Andrews.

A história é simples: Julie faz Maria, uma simpática e desastrada noviça que é enviada para ser governanta dos filhos do capitão austríaco Von Trapp, herói de guerra e ferrenho antinazista. Depois de alguns problemas, ela consegue domar as crianças e até transformá-las em cantores (com o clássico "Dó Ré Mi"). E consegue também roubar o capitão (Christopher Plummer, o ponto baixo do filme, canastrão e impávido) dos braços de uma noiva predadora, interpretada por Eleanor Parker.
  • "A Noviça Rebelde" ganhou Oscar de melhor filme, diretor, trilha sonora adaptada, edição e som. Também foi indicado ao Oscar de atriz (Julie Andrews), atriz coadjuvante (Peggy Wood), fotografia a cores, direção de arte a cores e figurino.

  • A família Von Trapp acompanha as exibições do filme até hoje e mantém uma hospedaria em Vermont, nos EUA, que virou atração turística.
  • 22 de setembro de 2008

    "Há uma primavera em cada vida".

    http://momentosydocumentos.files.wordpress.com/2008/05/premio-liberdade-florida1.jpg


    "Há uma primavera em cada vida".
    - Florbela Espanca

    "Aprendi com as primaveras a me deixar cortar para poder voltar inteira."
    - Cecília Meireles

    "Um cuco não traz a primavera."
    - Provérbios gregos

    "Toda a nossa vida é uma primavera, porque temos em nós a verdade que não envelhece e essa verdade anima toda a nossa caminhada".
    - Cirilo de Alexandria

    "Foi o melhor dos tempos, / foi o pior dos tempos, / foi a idade da sabedoria, / foi a idade da tolice, / foi a época da , / foi a época da incredulidade, / foi a estação da luz, / foi a estação das trevas, / foi a primavera da esperança, / foi o inverno do desespero".
    - Charles Dickens

    "Em vão centenas de milhar de homens, amontoados num pequeno espaço, se esforçavam por disfigurar a terra em que viviam; em vão a cobriam de pedras para que nada pudesse germinar; em vão arrancavam as ervas tenras que pugnavam por irromper; em vão impregnavam o ar de fumo de petróleo e de carvão; em vão escorraçavam os animais e os pássaros - porque até na cidade a primavera era Primavera".
    - Liev Tolstói

    "Amando se possuem todas as primaveras."
    - Juana de Ibarbourou


    "As tantas rosas que os poderosos matem nunca conseguirão deter a primavera."
    - Che Guevara


    19 de setembro de 2008

    Pequena Flor

    http://www.coloredhome.com/fotorosa1/rosa.JPG

    "Como pequena flor que recebeu unta chuva enorme
    e se esforça por sustentar o oscilante cristal das gotas
    na seda frágil e preservar o perfume que ai dorme,
    e vê passarem as leves borboletas livremente,


    e ouve cantarem os passares acordados nesta angústia,
    e o sol claro do dia as claras estátuas beijando sente.
    e espera que se desprenda o excessivo.úmido orvalho
    pousado, trêmulo, e sabe que talvez o vento


    a libertasse, porém a desprenderia do galho,
    e nesse tremor e esperança aguarda o mistério transida
    assim repleto de acasos e todo coberto de lágrimas
    há um coração nas lânguidas tardes que envolvem a vida."

    Cecília Meireles


    18 de setembro de 2008

    Eu aprendi



    que a melhor sala de aula do mundo está aos pés de uma pessoa mais velha;
    que ter uma criança adormecida nos braços é um dos momentos mais pacíficos do mundo;
    que ser gentil é mais importante do que estar certo;
    que nunca se deve negar um presente a uma criança;
    que eu sempre posso fazer uma prece por alguém quando não tenho a força para ajudá-lo de alguma outra forma;
    que não importa quanta seriedade a vida exija de você, cada um de nós precisa de um amigo brincalhão para se divertir junto;
    que algumas vezes tudo o que precisamos é de uma mão para segurar e um coração para nos entender;
    que os passeios simples com meu pai em volta do quarteirão nas noites de verão quando eu era criança fizeram maravilhas para mim quando me tornei adulto;
    que deveríamos ser gratos a Deus por não nos dar tudo que lhe pedimos;
    que dinheiro não compra "classe";
    que são os pequenos acontecimentos diários que tornam a vida espetacular;
    que debaixo da "casca grossa" existe uma pessoa que deseja ser apreciada, compreendida e amada;
    que Deus não fez tudo num só dia; o que me faz pensar que eu possa ?
    que ignorar os fatos não os altera;
    que quando você planeja se nivelar com alguém, apenas esta permitindo que essa pessoa continue a magoar você;
    que o AMOR, e não o TEMPO, é que cura todas as feridas;
    que a maneira mais facil para eu crescer como pessoa é me cercar de gente mais inteligente do que eu;
    que cada pessoa que a gente conhece deve ser saudada com um sorriso;
    que ninguem é perfeito até que você se apaixone por essa pessoa;
    que a vida é dura, mas eu sou mais ainda;
    que as oportunidades nunca são perdidas; alguém vai aproveitar as que você perdeu.
    que quando o ancoradouro se torna amargo a felicidade vai aportar em outro lugar;
    que devemos sempre ter palavras doces e gentis pois amanhã talvez tenhamos que engolí-las; que um sorriso é a maneira mais barata de melhorar sua aparência;
    que não posso escolher como me sinto, mas posso escolher o que fazer a respeito;
    que todos querem viver no topo da montanha, mas toda felicidade e crescimento ocorre quando você esta escalando-a;
    que só se deve dar conselho em duas ocasiões: quando é pedido ou quando é caso de vida ou morte;
    Que quanto menos tempo tenho, mais coisas consigo fazer.



    Perguntei a um sábio ,

    a diferença que havia

    entre amor e amizade,

    ele me disse essa verdade...

    O Amor é mais sensível,

    a Amizade mais segura.

    O Amor nos dá asas ,

    a Amizade o chão.

    No Amor há mais carinho,

    na Amizade compreensão.

    O Amor é plantado

    e com carinho cultivado,

    a Amizade vem faceira,

    e com troca de alegria e tristeza,

    torna-se uma grande e queridacompanheira.

    Mas quando o Amor é sincero

    ele vem com um grande amigo,

    e quando a Amizade é concreta,

    ela é cheia de amor e carinho.

    Quando se tem um amigo

    ou uma grande paixão,

    ambos sentimentos coexistem

    dentro do seu coração...


    William Shakespeare


    "Há quem diga que todas as noites são de sonhos.
    Mas há também quem garanta que nem todas,
    só as de verão. No fundo, isto não tem muita importância.
    O que interessa mesmo não é a noite em si, são os sonhos.
    Sonhos que o homem sonha sempre,
    em todos os lugares, em todas as épocas do ano,
    dormindo ou acordado
    ."

    Shakespeare


    "Aprende que ...

    não importa em quantos pedaços,

    seu coração foi partido,

    o mundo não pára para que você o conserte.

    Aprende que

    o tempo não é algo que possa voltar.

    Portanto,

    plante seu jardim

    e decore sua alma,

    em vez de esperar

    que alguém lhe traga flores."


    Shakespeare



    Sonnet 1
    William Shakespeare

    From fairest creatures we desire increase,
    That thereby beauty’s rose might never die,
    But as the riper should by time decease,
    His tender heir might bear his memory:
    But thou, contracted to thine own bright eyes,
    Feed’st thy light’s flame with self-substantial fuel,
    Making a famine where abundance lies,
    Thyself thy foe, to thy sweet self too cruel
    Thou that art now the world’s fresh ornament
    And only herald to the gaudy spring,
    Within thine own bud buriest thy content
    And, tender churl, mak’st waste in niggarding.
    Pity the world, or else this glutton be,
    To eat the world’s due, by the grave and thee.

    Soneto 1
    Tradução: Ivo Barroso

    Dos seres ímpares ansiamos prole
    Para que a flor do belo não se extinga,
    E se a rosa madura o Tempo colhe,
    Fresco botão sua memória vinga.
    Mas tu, que só com os olhos teus contrais,
    Nutres o ardor com as próprias energias
    Causando fome onde a abundância jaz,
    Cruel rival, que o próprio ser crucias.
    Tu, que do mundo és hoje o galardão,
    Arauto da festiva Natureza,
    Matas o teu prazer inda em botão
    E, sovina, esperdiças na avareza.
    Piedade, senão ides, tu e o fundo
    Do chão, comer o que é devido ao mundo

    Eu amo tulipas

    Muita gente pensa que as tulipas são originárias da Holanda, eu também pensava, tamanha a associação existente entre elas e este país. Entretanto, as tulipas, na verdade, são turcas e foram levadas para a Holanda por volta de 1560, depois que o botânico Conrad von Gesner as catalogou em 1559, usando bulbos originais coletados em Constantinopla, atual Istambul.
    O nome da flor foi inspirado na palavra "tulipan" que significa "turbante" (o formato da tulipa lembra mesmo um turbante).


    Como muitas flores, as cores diferentes das tulipas também carregam frequentemente seu próprio significado: tulipas vermelhas são fortemente associadas com amor verdadeiro, roxo simboliza o luxo, amarelas prosperidade, brancas são usadas reivindicar valores ou emitir uma mensagem de perdão, as tulipas coloridas, devido as vastíssimas variedades de cores, representam “olhos bonitos"

    Ambientes decorados com tulipas revelam bom gosto, distinção, sofistificação.

    PS. Obrigada Adilza pela imagem

    Exuberância é beleza.



    http://gigadicas.com/wallpapers/tulipas.jpg




    Exuberância é beleza.
    Willian Blake



    O Sentido da Vida como Capacidade de Criar

    Não é só pela consciência de termos capacidade de trabalhar. O trabalho do escritor, do compositor, do artista independe da idade, das condições sociais... O criador espiritual é o único homem que leva para a velhice o sentido da vida, a possibilidade de criar. Já o cientista, se não tem laboratório e cátedra, fica estéril.


    Sándor Márai, in 'Diário'

    Belle, Belle, Belle!!!!!!

    Belle, a guerreira vencedora.

    Eram milhares deles correndo, buscavam o primeiro lugar. Eu pensei : tenho que chegar em primeiro lugar. Corri , corri, deixei-os para trás.
    SOU BELLE!!!, campeã na corrida da vida!



    Belle, sim Senhor, não Senhor



    Dia 25 de agosto é o Dia do soldado.
    Belle, soldado ou enfermeira???

    16 de setembro de 2008

    Sou um guardador de rebanhos


    O rebanho é os meus pensamentos
    E os meus pensamentos são todos sensações.
    Penso com os olhos e com os ouvidos
    E com as mãos e os pés
    E com o nariz e a boca.

    Pensar numa flor é vê-la e cheirá-la
    E comer um fruto é saber-lhe o sentido.

    Por isso quando num dia de calor
    Me sinto triste de gozá-lo tanto,
    E me deito ao comprido na erva,
    E fecho os olhos quentes,
    Sinto todo o meu corpo deitado na realidade,
    Sei da verdade e sou feliz.

    de Alberto Caeiro

    A miséria do meu ser,


    A miséria do meu ser,
    Do ser que tenho a viver,

    Tornou-se uma coisa vista.
    Sou nesta vida um qualquer

    Que roda fora da pista.


    Ninguém conhece quem sou
    Nem eu mesmo me conheço

    E, se me conheço, esqueço,
    Porque não vivo onde estou.
    Rodo, e o meu rodar apresso.

    É uma carreira invisível,
    Salvo onde caio e sou visto,
    Porque cair é sensível

    Pelo ruído imprevisto...
    Sou assim.Mas isto é crível?
    Fernando Pessoa

    15 de setembro de 2008

    A borboleta azul


    Gifs de Borboletas

    No alegre sol de então
    De uma manhã de amor,
    A borboleta solta no fulgor
    Da luz, lembrava um leve coração.


    Ia e vinha e a voar
    Gentil e trêfega, azul,
    Sonoramente a percorrer pelo ar,
    Como um silfo tenuíssimo e taful.


    Sobre os frescos rosais
    Pousava débil, sutil,
    Doirando tudo de um risonho abril
    Feito de beijos e de madrigais.


    Que doce embriaguez
    O vôo assim seguir
    Da borboleta azul, correndo, a vir
    Do espaço pela Etérea candidez!


    Fazendo, tal e qual,
    O mesmo giro assim,
    O mesmo vôo límpido, sem fim,
    Nos mundos virgens de qualquer ideal.


    Ir como ela também
    Em busca das loucas
    E tropicais e fulgidas manhãs
    Cheias de colibris e sol, além...


    Ir com ela na luz
    De mundos através,
    Sem abrolhos nas mãos, cardos nos pés,
    Ó alma, minha, que alegria a flux!...


    No alegre sol de então
    De uma manhã de amor
    A borboleta solta no fulgor
    Da luz, lembrava um leve coração.

    Cruz e Souza



    Gifs de Borboletas Gifs de BorboletasGifs de Borboletas


    Fio d'agua





    Não quero ser o grande rio caudaloso
    Que figura nos mapas.

    Quero ser o cristalino fio d’água
    Que canta e murmura na mata silenciosa.”

    Helena Kolody
    (in Sinfonia da Vida, Pólo Ed. do PR, 1997, p.28 e 29)

    14 de setembro de 2008

    Apesar de Você


    imagem da flor


    escute a melodia

    (Chico Buarque)

    Hoje você é quem manda
    Falou, tá falado
    Não tem discussão, não
    A minha gente hoje anda
    Falando de lado
    E olhando pro chão, viu
    Você que inventou esse estado
    E inventou de inventar
    Toda escuridão
    Você que inventou o pecado
    Esqueceu-se de inventar
    O perdão

    Apesar de você
    Amanhã há de ser
    Outro dia
    Eu pergunto a você
    Onde vai se esconder
    Da enorme euforia
    Como vai proibir
    Quando o galo insistir
    Em cantar
    Água nova brotando
    E a gente se amando
    Sem parar

    Quando chegar o momento
    Esse meu sofrimento
    Vou cobrar com juros, juro
    Todo esse amor reprimido
    Esse grito contido
    Esse samba no escuro
    Você que inventou a tristeza
    Ora, tenha a fineza
    De desinventar
    Você vai pagar e é dobrado
    Cada lágrima rolada
    Nesse meu penar

    Apesar de você
    Amanhã há de ser
    Outro dia
    'Inda pago pra ver
    O jardim florescer
    Qual você não queria
    Você vai se amargar
    Vendo o dia raiar
    Sem lhe pedir licença
    E eu vou morrer de rir
    Que esse dia há de vir
    Antes do que você pensa

    Apesar de você
    Amanhã há de ser
    Outro dia
    Você vai ter que ver
    A manhã renascer
    E esbanjar poesia
    Como vai se explicar
    Vendo o céu clarear
    De repente, impunemente
    Como vai abafar
    Nosso coro a cantar
    Na sua frente

    Apesar de você
    Amanhã há de ser
    Outro dia
    Você vai se dar mal
    Et cetera e tal, lá laiá la laiá lá ...


    11 de setembro de 2008

    CATADOR

    pregos I

    Um homem catava pregos no chão.

    Sempre os encontrava deitados de comprido, ou de lado, ou de joelhos no chão.

    Nunca de ponta.

    Assim eles não furam mais - o homem pensava.

    Eles não exercem mais a função de pregar.

    São patrimônios inúteis da humanidade.

    Ganharam o privilégio do abandono.

    O homem passava o dia inteiro nessa função de catar pregos enferrujados.

    Acho que essa tarefa lhe dava algum estado.

    Estado de pessoas que se enfeitam a trapos.

    Catar coisas inúteis garante a soberania do Ser.

    Garante a soberania de Ser mais do que Ter.

    Fonte: www.releituras.com


    A Cachorrinha


    Mas que amor de cachorrinha!
    Mas que amor de cachorrinha!
    Pode haver coisa no mundo
    Mais branca, mais bonitinha
    Do que a tua barriguinha
    Crivada de mamiquinha?
    Pode haver coisa no mundo
    Mais travessa, mais tontinha
    Que esse amor de cachorrinha
    Quando vem fazer festinha
    Remexendo a traseirinha?

    10 de setembro de 2008

    Não verás nenhum país como este!


    .... Criança! Não verás nenhum país como este! Olha que céu! que mar! que rios! que floresta! A Natureza aqui, perpetuamente em festa. É um seio de mãe, a transbordar carinhos. Vê que vida há no chão! Vê que vida há nos ninhos, que se balançam no ar, entre os ramos inquietos! Vê que luz, que calor, que multidão de insetos! Vê que grande extensão de matas, onde impera, fecunda e luminosa, a eterna primavera! Boa terra! Jamais negou a quem trabalha, o pão que mata a fome, o teto que agasalha. Quem com o seu suor a fecunda e emudece, vê pago o seu esforço, e é feliz, e enriquece! Criança! Não verás país nenhum como este: Imita, na grandeza, a terra em que nasceste!"

    Olavo Bilac

    9 de setembro de 2008

    Da Solidão

    http://regressoaofuturo5.blogs.sapo.pt/arquivo/Solidao.JPG

    A maior solidão é a do ser que não ama. A maior solidão é a dor ser que ausenta, que se defende, que se fecha, que se recusa a participar da vida humana. A maior solidão é a do homem encerrado em si mesmo, no absoluto de si mesmo, e que não dá a quem pede o que ele pode dar de amor, de amizade, de socorro. O maior solitário é o que tem medo de amar, o que tem medo de ferir e de ferir-se, o ser casto da mulher, do amigo, do povo, do mundo. Esse queima como uma lâmpada triste, cujo reflexo entristece também tudo em torno. Ele é a angústia do mundo que o refle te Ele é o que se recusa às verdadeiras fontes da emoção, as que são o patrimônio de todos, e, encerrado em seu duro privilégio, semeia pedras do alto da sua fria e desolada torre.

    Para viver um grande amor

    Vinicius de Moraes

    Parâmetro
    Adélia Prado

    http://cache01.stormap.sapo.pt/fotostore01/fotos//13/ba/39/37848_000ppgb4.jpg

    Deus é mais belo que eu.
    E não é jovem.
    Isto sim, é consolo.

    8 de setembro de 2008

    Esse seu olhar


    Composição: Tom Jobim

    Esse seu olhar
    Quando encontra o meu
    Doce é sonhar
    É pensar que você
    Gosta de mim
    Como eu de você
    Mas a ilusão
    Quando se desfaz
    Dói no coração
    De quem sonhou
    Sonhou demais
    Ah! se eu pudesse entender
    O que dizem os seus olhos
    Fala de umas coisas
    Que eu nem posso acreditar

    Tom Jobim

    Se eu pudesse... Ghandi



    “Se eu pudesse deixar algum presente a você, deixaria aceso o sentimento de amar a vida.

    A consciência de aprender tudo o que foi ensinado pelo tempo afora.

    Lembraria os erros que foram cometidos para que não mais se repetissem.

    Daria a capacidade de escolher novos rumos, novos caminhos.

    Deixaria, se pudesse, o respeito àquilo que é indispensável.

    Além do pão, o trabalho.

    Além do trabalho, a ação.

    Além da ação o cultivo à amizade.

    E, quando tudo mais faltasse, deixaria um segredo:

    O de buscar no interior de si mesmo a resposta e a força para encontrar a saída”.


    Gandhi


    Reflexões na Tarde - Marguerite yourcenar



    “(…) Quando tivermos reduzido o máximo possível as servidões inúteis, evitando as desgraças desnecessárias, restará sempre, para manter vivas as virtudes heróicas do homem, a longa série de males verdadeiros: a morte, a velhice, as doenças incuráveis, o amor não partilhado, a amizade rejeitada, a mediocridade de uma vida menos vasta do que nossos projetos e mais enevoada do que nossos sonhos. Enfim, todas as desventuras causadas pela divina natureza das coisas”.


    In Memórias de Adriano

    6 de setembro de 2008

    Quem Sabe um Dia


    http://sitedepoesias.com.br/imagens/poemas/15317.jpg

    Quem Sabe um Dia
    Quem sabe um dia
    Quem sabe um seremos
    Quem sabe um viveremos
    Quem sabe um morreremos!

    Quem é que
    Quem é macho
    Quem é fêmea
    Quem é humano, apenas!

    Sabe amar
    Sabe de mim e de si
    Sabe de nós
    Sabe ser um!

    Um dia
    Um mês
    Um ano
    Um(a) vida!

    Sentir primeiro, pensar depois
    Perdoar primeiro, julgar depois
    Amar primeiro, educar depois
    Esquecer primeiro, aprender depois

    Libertar primeiro, ensinar depois
    Alimentar primeiro, cantar depois

    Possuir primeiro, contemplar depois
    Agir primeiro, julgar depois

    Navegar primeiro, aportar depois
    Viver primeiro, morrer depois

    Mario Quintana


    Trova

    Trova



    Coração que bate-bate...
    Antes deixes de bater!
    Só num relógio é que as horas
    Vão passando sem sofrer.

    Mário Quintana

    A Carta -

    A Carta

    http://www.ilhasdeabrolhos.com.br/images/455.jpg

    Hoje encontrei dentro de um livro uma velha carta amarelecida,
    Rasguei-a sem procurar ao menos saber de quem seria...
    Eu tenho um medo
    Horrível
    A essas marés montantes do passado,
    Com suas quilhas afundadas, com
    Meus sucessivos cadáveres amarrados aos mastros e gáveas...
    Ai de mim,
    Ai de ti, ó velho mar profundo,
    Eu venho sempre à tona de todos os meus naufrágios!

    Mario Quintana